ONG

Itália autoriza desembarque dos 176 migrantes do navio Ocean Viking

Itália autoriza desembarque dos 176 migrantes do navio Ocean Viking

As autoridades italianas autorizaram esta segunda-feira o desembarque no porto de Taranto, no sul do país, dos 176 migrantes do navio 'Ocean Viking', das ONG SOS Mediterrâneo e Médicos Sem Fronteiras.

"É um alívio que os 176 sobreviventes possam obter segurança sem atrasos inúteis, mas pedimos aos líderes da União Europeia que concordem com um mecanismo de desembarque automático", disse a organização não-governamental (ONG) francesa SOS Mediterrâneo na rede social Twitter.

Na sequência da mudança do Governo de Itália, com a saída da ultradireita Liga, o executivo, formado pelo Movimento 5 Estrelas e o Partido Democrata, não impede a chegada de migrantes.

Esta segunda-feira, aquelas duas ONG tinham pedido à União Europeia (UE) que indicasse rapidamente um porto seguro para desembarcarem os 176 migrantes de diferentes países africanos que resgataram na costa da Líbia no fim de semana.

"Já é a quarta vez desde o início das operações da 'Ocean Viking' que esperamos por um lugar seguro para desembarcar", disse num comunicado a SOS Mediterrâneo, que administra o navio juntamente com os Médicos Sem Fronteiras.

A nota considera que os governos "falharam" na implementação de "um mecanismo de desembarque previsível" e que os acordos alcançados pontualmente para cada ocasião "não podem ser a solução".

O navio deixou a zona de resgate na costa da Líbia e seguia para o norte. Na manhã desta segunda-feira, estava entre a ilha italiana de Lampedusa e Malta.

As duas ONG recusaram-se a levar os migrantes para Trípoli, como as autoridades líbias haviam indicado, porque não consideram a Líbia um país seguro.

No final do dia de sábado, depois de a ONG Alarm Phone lançar um alerta sobre uma embarcação em perigo, o 'Ocean Viking' resgatou 68 homens e seis menores não acompanhados nas proximidades de uma plataforma de petróleo.

O segundo resgate, também graças a um aviso do Alarm Phone, permitiu resgatar 102 pessoas, entre as quais quatro mulheres grávidas e nove crianças menores de 16 anos.

Outras Notícias