Covid-19

Italianos que rejeitem vacina da AstraZeneca poderão receber outra

Italianos que rejeitem vacina da AstraZeneca poderão receber outra

Os italianos que forem chamados a ser vacinados com o imunizante da ​​​​​​​AstraZeneca podem recusar e esperar para receber outra vacina, se assim o desejarem, disse esta sexta-feira o presidente do Conselho Superior de Saúde de Itália, Franco Locatelli.

"Se alguém for chamado para a vacina da AstraZeneca e a recusar, será reconsiderado mais tarde para outro tipo de vacina", explicou Locatelli, que insistiu que as patologias detetadas nas pessoas que receberam o imunizante "não têm uma relação causal" com a vacina.

A Itália retomou esta sexta-feira a vacinação com doses da vacina da AstraZeneca/Oxord - que tinha sido suspensa como medida de precaução na segunda-feira - após o aval da Agência Europeia de Medicamentos (EMA), que disse não ter provas de que esta vacina tenha uma ligação direta com os casos de tromboembolismo detetados na Europa.

Locatelli recordou que a informação analisada pela EMA "refere-se a vinte milhões de pessoas que foram vacinadas na União Europeia e no Reino Unido", em que foram detetados vinte e cinco casos de trombose.

"Vinte e cinco casos em vinte milhões, sete de coagulação intravascular disseminada e dezoito de trombose venosa cerebral. Infelizmente, só em Itália, uma dúzia de menores perderam a vida devido ao novo coronavírus", comparou Locatelli.

"A infeção covid-19 é também muito mais perigosa para o desenvolvimento deste tipo de complicações", acrescentou.

O primeiro-ministro italiano, Mario Draghi, disse hoje numa conferência de imprensa que será vacinado com o medicamento britânico.

PUB

"Ainda não me registei, mas vou ser vacinado com a vacina da AstraZeneca", disse.

No total, a Itália administrou 7.428.407 doses dos três medicamentos que tem estado a utilizar (Pfizer/BioNTech, Moderna e AstraZeneca) e 2.336.928 italianos foram imunizados após receberem as duas doses necessárias da vacina.

Itália registou 25.735 novos casos de covid-19 e 386 mortes nas últimas 24 horas, segundo o Ministério da Saúde.

Mais 800 pessoas foram infetadas em comparação com o dia anterior, mas o número de testes realizados também foi superior: 364.822 hoje, em comparação com os 353.737 de quinta-feira.

As mortes, 386, são menos 37 do que na véspera, número que continua alto em relação às últimas semanas, nas quais as mortes diárias ficaram abaixo de 380.

O número total de contágios detetados desde o início da pandemia em Itália, em fevereiro de 2020, é de 3.332.418, enquanto 104.241 morreram devido à doença.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG