Covid-19

Japão e Coreia do Norte suspedem aulas para evitar propagação do coronavírus

Japão e Coreia do Norte suspedem aulas para evitar propagação do coronavírus

O Japão vai encerrar temporariamente as escolas públicas e a Coreia do Norte adiou o início das aulas para evitar a propagação do coronavírus, que na Coreia do Sul levou ao adiamento de exercícios militares com os Estados Unidos.

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, apelou esta quinta-feira ao encerramento temporário das escolas públicas "a partir de 2 de março até às férias da primavera", que começam geralmente no final de março no Japão.

"O governo coloca a saúde e a segurança das crianças acima de tudo", declarou Abe, defendendo a tomada de "medidas rigorosas" para evitar a propagação do Covid-19, que já infetou perto de 190 pessoas no país.

O adiamento do início do ano letivo faz parte das medidas "extraordinárias" tomadas pela Coreia do Norte para se proteger da epidemia, indicaram esta quinta-feira os media.

Pyongyang não registou até agora qualquer caso do coronavírus, que apareceu em dezembro na cidade chinesa de Wuhan, mas tem uma infraestrutura de saúde frágil e já tomou várias medidas preventivas.

Foi um dos primeiros países a encerrar as fronteiras, suspendeu as ligações aéreas e ferroviárias, proibiu as visitas de turistas e impôs uma quarentena de 30 dias para os suspeitos de terem o vírus.

Os estrangeiros são alvo das maiores restrições: desde o início de fevereiro que são obrigados a ficar em casa em quarentena.

Na vizinha Coreia do Sul, local onde se regista o maior contágio fora da China continental, foi anunciado hoje o adiamento de exercícios militares com os Estados Unidos, após Seul ter declarado o nível de alerta mais alto, "grave".

Perto de 1.600 pessoas foram infetadas na Coreia do Sul e 12 morreram devido ao coronavírus, tendo os exercícios militares sido adiados indefinidamente.

Vários eventos foram suspensos no país devido à epidemia, como o campeonato nacional de futebol e os mundiais de ténis de mesa, que foram adiados.

A epidemia do coronavírus Covid-19 já causou 2800 mortos e infetou mais de 82 mil pessoas, de acordo com dados reportados por 48 países e territórios.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG