EUA

Jay-Z pede acusação de polícia que matou três homens e foi condecorado

Jay-Z pede acusação de polícia que matou três homens e foi condecorado

A Team Roc, uma iniciativa de justiça social liderada pelo rapper Jay-Z, quer que Joseph Mensah, um polícia dos EUA que matou três homens de cor, num espaço de cinco anos, seja acusado pelos homicídios.

No período entre 2015 e 2020, Joseph Mensah matou um total de três homens negros ou latinos em Wauwatosa, um subúrbio de Milwaukee, tendo disparado um total de 19 tiros. As vítimas são Alvin Cole, Antonio Gonzalez e Jay Henderson.

"Estamos a apelar à acusação de Mensah para assegurar que nunca mais mata ninguém e que equipem os polícias com câmaras corporais. É a vossa responsabilidade fazer aquilo que está certo. Acusem Mensah pelas suas ações e protejam os cidadãos de Wauwatosa de mais tragédias. Mensah deve ser despedido imediatamente", escreveu a Team Roc, numa carta enviada a John Chisholm, procurador da cidade de Milwaukee.

Dois dos três assassinatos de Joseph Mensah foram considerados auto-defesa. No caso de Antonio Gonzalez, a polícia referiu que sofria de problemas mentais e que empunhava uma espada quando as autoridades chegaram a sua casa. Por isso, dispararam contra o homem e Mensah chegou a receber uma Medalha de Valor pelo homicídio.

Jay Henderson foi acusado de ter tentado pegar numa arma quando Joseph Mensah se dirigia para o seu carro, onde estava a dormir. O caso mais recente é de Alvin Cole, que a polícia refere que disparou primeiro durante uma perseguição. As famílias destes dois últimos assassinatos contrariam a versão da polícia.

A Team Roc acrescentou que, com a exceção destes três casos, mais nenhum assassinato ocorreu em Wauwatosa desde que Joseph Mensah se juntou à polícia em 2015. "A lei exige que cada tiro disparado por um agente da polícia seja analisado cuidadosamente", escreveu.

PUB

A Team Roc tem cimentado a sua posição com objetivo de promover a justiça social. A discográfica de Jay-Z, Roc Nation, escreveu, na passada quinta-feira, que o mundo está a enfrentar duas pandemias: a da covid-19 e a do racismo e brutalidade policial.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG