JN Comunidades

A segunda vida de Felix Braz

A segunda vida de Felix Braz

Nunca um filho de portugueses chegou tão longe no governo de outro país. Felix Braz foi vice-primeiro-ministro do Luxemburgo. A 22 de agosto de 2019, teve uma paragem cardíaca e entrou em coma. Morreu e ressuscitou. História da solidão de uma queda. E da luta para levantar-se.

Esta semana, Felix Braz, 55 anos, conduziu o seu carro durante 30 quilómetros e isso foi uma das maiores alegrias dos últimos tempos. "O meu pai tinha uma escola de condução, foi ele quem me ensinou a guiar", explica agora na sua casa em Esch-sur-Alzette, a segunda maior cidade luxemburguesa. Fala com um discurso claro, ainda que as palavras teimem em enrolar-se. "Para mim é importante voltar à estrada, é uma forma de respeitar o seu legado." Há dois anos, quando acordou de um coma, não fazia a mínima ideia de quem era o progenitor. Na verdade, nem sequer reconhecia a mulher ou os filhos. Também não sabia o seu próprio nome.

Leia a reportagem em Contacto

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG