Brasil

Consulado de Portugal volta a aceitar pedidos de nacionalidade em São Paulo e Santos

Consulado de Portugal volta a aceitar pedidos de nacionalidade em São Paulo e Santos

O Consulado-geral de Portugal na cidade brasileira de São Paulo e o escritório consular na cidade de Santos voltaram a aceitar processos sobre pedidos de nacionalidade portuguesa nesta quinta-feira.

A Lusa esteve na porta do Consulado-Geral de Portugal em São Paulo e verificou que a retoma deste serviço foi tranquila.

Não houve filas porque o atendimento é feito com hora marcada e o público que procurou atendimento entrou tranquilamente no prédio.

Os pedidos de reconhecimento de nacionalidade portuguesa nas representações consulares de São Paulo e Santos estavam suspensos desde meados de outubro e, inicialmente, só deveriam ser retomados em janeiro de 2019.

A informação sobre a suspensão e a data da retoma do serviço constavam em um comunicado publicado no sítio do consulado na Internet em meados de outubro, no qual a suspensão foi justificada pela necessidade de analisar com maior rapidez os processos já em andamento.

"Por forma a evitar ainda maior lentidão na análise dos processos que já se encontram pendentes de tratamento por este posto consular e por outras autoridades portuguesas, o consulado geral vê-se forçado a suspender temporariamente a admissão de novos pedidos de nacionalidade - em São Paulo e no Escritório Consulado em Santos, igualmente sobrecarregado com solicitações", referia o comunicado.

No entanto, o Governo português anunciou a retoma do atendimento para o dia 1 de novembro.

No dia 26 de outubro, quando a entrada de pedidos de nacionalidade ainda estava suspensa, uma fonte da secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas revelou à Lusa que o Consulado-Geral de Portugal em São Paulo e o Escritório Consular em Santos tinham 2030 pedidos de nacionalidade portuguesa à espera para serem tramitados.

Além disso, existe também um grande número de pedidos de visto nestas unidades consulares, que cresceram 34% de janeiro a setembro face ao mesmo período de 2017, segundo o Gabinete do secretário de Estado das Comunidades Portuguesas.

ver mais vídeos