França

Regresso às aulas causa apreensão aos portugueses em França

Regresso às aulas causa apreensão aos portugueses em França

O regresso às aulas em França vai acontecer de forma progressiva, a partir do dia 11 de maio, mas as famílias portuguesas no país, tal como as francesas, hesitam em enviar os filhos até terem mais garantias sobre a nova organização nas escolas.

Após quase dois meses de confinamento devido à Covid-19 e depois da introdução generalizada do ensino à distância, França prepara-se para começar a abrir as escolas a partir de 11 de maio, mas esta indicação tem sido recebida com apreensão pelos pais.

"Nós vivemos em Paris, um cluster da doença. Portanto, o retorno à escola vai depender das informações que vamos receber até dia 11 de maio. O retorno à escola é muito importante, mas é muito importante tendo em conta o contexto. Não devemos aumentar o risco nem para nós, nem para as crianças, nem para as pessoas à nossa volta", afirmou Maria João Pita, arquiteta e mãe de duas crianças de três e nove anos.

Uma sondagem feita para o Le Figaro e para a France Info mostra que, pelo menos duas em três famílias (cerca de 64% dos inquiridos), não vão enviar pelo menos uma das crianças para a escola antes do novo ano letivo, a começar em setembro. A apreensão levou mesmo o Presidente da República, Emmanuel Macron, a divulgar que o regresso em maio será "voluntário" e que as aulas à distância vão continuar.

Leia mais em Bom Dia

Outras Notícias