EUA

Colégio Eleitoral confirma vitória de Joe Biden

Colégio Eleitoral confirma vitória de Joe Biden

O Colégio Eleitoral dos Estados Unidos da América (EUA) validou hoje a vitória do democrata Joe Biden nas eleições presidenciais, que com 302 votos ultrapassou o mínimo de 270 necessários para poder ser o 46.º Presidente norte-americano.

A vitória de Joe Biden foi ratificada depois de os delegados do Colégio Eleitoral pela Califórnia atribuírem os 55 votos daquele estado ao democrata, que já tinha 347 votos e agora tem 302, de um total de 538. A decisão foi anunciada em Sacramento, na Califórnia, às 17:29 de Washington, capital dos EUA (22:29 em Portugal continental).

Contudo, o Presidente eleito apenas vai ser declarado oficialmente o sucessor do republicano Donald Trump na Casa Branca quando o estado do Havai depositar os seus votos, finalizando o processo de atribuição de votos nos 50 estados norte-americanos.

Os quatro votos do Havai também deverão ser atribuídos a Joe Biden, que, de acordo com as projeções de vários órgãos de comunicação social norte-americanos, entre os quais a CNN, o The New York Times e o The Washington Post, vai terminar este processo com 306 votos do Colégio Eleitoral. Donald Trump arrecadou apenas 232.

Nos Estados Unidos, o Presidente não é escolhido por voto popular, mas por sistema indireto, através do voto dos grandes eleitores, escolhidos em função dos resultados eleitorais e em função da população de cada estado (com os mais populosos a ter direito a mais votos).

Biden venceu em vários estados que lhe atribuíram 306 delegados, superando o mínimo de 270 necessários para ser Presidente.

A cerimónia de tomada de posse de Biden enquanto o 46.º Presidente dos Estados Unidos vai ser realizada em 20 de janeiro.

PUB

"Agora é hora de virar a página"

Num discurso preparado para proferir depois desta ratificação dos resultados eleitores, o democrata Joe Biden vincou que está na altura de "virar a página" e que "o abuso de poder" não conseguiu derrubar a democracia norte-americana.

"Na batalha pela alma [dos Estados Unidos] da América, a democracia venceu", disse Biden através de um trecho de um discurso que foi divulgado antecipadamente pela equipa do democrata. Biden considerou ainda que "a integridade" do processo eleitoral "foi preservada", por isso, "agora é hora de virar a página".

A crítica, apesar de não referir diretamente o nome, é dirigida ao Presidente cessante, o republicano Donald Trump, que continua a recusar aceitar a derrota e a alimentar teorias infundadas de fraude eleitoral.

"A chama da democracia foi acesa há muito tempo neste país. E agora sabemos que nada, nem mesmo uma pandemia ou um abuso de poder, pode apagar essa chama", acrescentou o democrata, que vai ser o 46.º Presidente dos EUA.

Estas declarações integram um discurso que Biden deverá fazer depois de ratificada a vitória nas presidenciais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG