Mundo

Jornalista holandês atacado com cocktail molotov

Jornalista holandês atacado com cocktail molotov

Um jornalista holandês foi atacado com pelo menos um cocktail molotov na noite de quarta-feira, um mês após o jornalista de investigação Peter de Vries ser assassinado, causando uma onda de emoção nos Países Baixos.

Um ou mais engenhos incendiários foram atirados contra a janela da casa do jornalista Willem Groeneveld, que conseguiu apagar o fogo com a sua companheira, disse a polícia.

Uma investigação foi lançada e a polícia recusou-se a especular sobre a causa do ataque, que não resultou em quaisquer ferimentos.

Groeneveld, que escreve para o Sikkom, um blogue da cidade de Groningen, tem sido frequentemente vítima de intimidações. Há dois anos, foram atiradas pedras contra as janelas da sua casa depois ter escrito vários artigos a denunciar proprietários de bairros de lata, noticiou o canal público de televisão "NOS".

Na semana passada, numa entrevista à revista jornalística "Villamedia", Groeneveld disse que passou a "olhar por cima do ombro com mais frequência quando anda pela cidade".

"Após a tentativa de assassínio ao Peter de Vries, este é o segundo ataque a um jornalista holandês num curto período de tempo", afirmou Thomas Bruning, secretário-geral da Associação de Jornalistas Holandeses, citado pela agência de notícias holandesa ANP.

PUB

Peter R. de Vries, repórter criminal, morreu no dia 15 de julho depois de ter sido baleado em Amesterdão em 6 de julho. Uma onda de emoção inundou o país após o assassínio deste "herói nacional", que aparecia regularmente como porta-voz de vítimas ou no círculo restrito de testemunhas-chave.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG