Crime

Jornalista mexicano morto a tiro enquanto investigava restos mortais

Jornalista mexicano morto a tiro enquanto investigava restos mortais

Um jornalista mexicano foi morto a tiro enquanto investigava o aparecimento de restos mortais humanos numa estrada em Salamanca, no Estado de Guanajuato.

Israel Vázquez Rangel, de 31 anos, foi encontrado pela polícia gravemente ferido, apresentando múltiplos ferimentos de bala no corpo. Presume-se que terá sido o primeiro a chegar ao local para investigar o aparecimento de restos mortais humanos. Não resistiu aos ferimentos e faleceu passado algumas horas no hospital.

O jornalista trabalhava para o site de notícias online "El Salmantino" que destacou que Israel se deslocou até ao local com o carro da empresa e, por isso, deve ter sido imediatamente identificado como repórter. O site afirma ainda que o mesmo foi vítima de "um ataque covarde e atroz enquanto cumpria o seu honroso trabalho de jornalista". Foram vários os meios de comunicação social que também demonstraram a sua indignação por este crime.

O México é considerado um dos países mais perigosos para os jornalistas: desde 2000 já foram mortos mais de 100. As suas investigações focavam-se essencialmente em casos de corrupção ou cartéis de droga.

O governador de Guanajuato apela pela investigação deste crime e assegura que irá proteger e apoiar a família de Israel.

Porém, estes tipos de descobertas já são comuns no país. Ainda há duas semanas foram encontrados 59 corpos, em Salvatierra, cidade que fica a uma hora de distância de Salamanca.

O Estado de Guanajuato tem assistido a um aumento da violência devido à guerra assumida entre dois gangues, o Cartel de Santa Rosa de Lima e o Cartel Jalisco Nova Geração que estão envolvidos em roubos de combustível, venda de drogas e extorsão de empresas.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG