Brasil

Juiz do Supremo abre inquérito contra Bolsonaro

Juiz do Supremo abre inquérito contra Bolsonaro

Um juiz do Supremo Tribunal Federal do Brasil determinou a abertura de um inquérito para investigar as acusações de interferência em processos judiciais contra Jair Bolsonaro, feitas pelo ex-ministro da Justiça.

Depois de, na sexta-feira, Sérgio Moro se ter demitido do cargo de ministro da Justiça, acusando Bolsonaro de "interferência política na Polícia Federal", na sequência da exoneração do diretor dessa força de segurança, o procurador-geral da República brasileiro pediu ao Supremo Tribunal Federal a abertura de um inquérito para apurar as acusações. Segundo Moro, o presidente brasileiro afastou a liderança da Polícia porque quer ter acesso às investigações judiciais, algumas das quais envolvem os filhos ou aliados políticos.

O pedido do procurador-geral ao Supremo aponta a eventual ocorrência dos crimes de "falsidade ideológica, coação no curso do processo, advocacia administrativa, prevaricação, obstrução de Justiça, corrupção passiva privilegiada, denúncia caluniosa e crime contra a honra", que Bolsonaro rejeita. Por outro lado, caso as declarações de Moro não se comprovem, poderá estar em causa o crime de denúncia caluniosa.

Depois de analisar o pedido, que "revela práticas alegadamente delituosas" cometidas pelo Bolsonaro, o juiz Celso de Mello decidiu a abertura de um inquérito para apurar se houve ou não crimes. A Polícia Federal tem agora 60 dias para interrogar Moro, para que preste esclarecimentos sobre os possíveis crimes e possa apresentar provas.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG