Maomé

Juiz rejeita pedido de atriz para retirar vídeo de Maomé do "YouTube"

Juiz rejeita pedido de atriz para retirar vídeo de Maomé do "YouTube"

Um juiz de Los Angeles rejeitou o pedido da atriz Cindy Lee Garcia para retirar do YouTube o vídeo sobre Maomé no qual participou e que provocou a ira da comunidade islâmica.

O magistrado de um tribunal de Los Angeles considerou que a atriz devia ter alertado o alegado produtor do filme Nakoula Basseley Nakoula, noticiou o "The Wall Street Journal".

O vídeo de 14 minutos distribuído no YouTube reúne excertos do filme "A inocência dos muçulmanos" que ridiculariza o profeta Maomé, e que desencadeou manifestações em vários países islâmicos, algumas com violência, e que terá estado na origem do atentado que matou o embaixador americano na Líbia, Chris Stevens.

PUB

Cindy Lee García argumentou que os produtores mentiram sobre suas intenções na altura das filmagens do projeto e acusou-os de difamação, fraude e danos emocionais.

A intérprete alegou que foi chamada a um "casting" para um filme chamado "Desert Warrior", que era supostamente uma aventura histórica no deserto da Arábia, mas que os produtores tinham outras intenções que esconderam do elenco.

Cindy Lee Garcia insistiu que nunca o nome de Maomé foi mencionado durante a rodagem nem tão pouco fizeram alusão a conteúdos sexuais, como apareceram finalmente.

A atriz explicou que recebeu ameaças de morte e que a própia família a proibiu de ver os netos de quem cuidava habitualmente.

Cindy Lee Garcia indicou também que foi despedida por alegadamente os antigos chefes temerem pela sua segurança.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG