Mundo

Juízes votam contra divisão do processo "mensalão" e vão julgar 38 réus

Juízes votam contra divisão do processo "mensalão" e vão julgar 38 réus

Os juízes do Supremo Tribunal Federal brasileiro (STF) decidiram na quarta-feira, após mais de três horas de discussão, não dividir o processo do "mensalão", conforme solicitavam os advogados de alguns dos réus.

A primeira sessão para o julgamento de um dos maiores esquemas de corrupção ocorridos no país começou na tarde hoje, em Brasília, com a leitura dos nomes dos 38 réus envolvidos no processo.

Na sequência, um dos advogados da defesa questionou a competência do Supremo Tribunal Federal brasileiro (STF) para julgar os réus que não possuem foro privilegiado. Do total, apenas três deputados federais estariam no grupo dos que possuem essa prerrogativa.

A maioria dos juízes da Supremo, no entanto, decidiu negar o pedido, o que significa que todos os envolvidos serão julgados pelo máximo tribunal do país.

Entre os acusados, estão políticos ligados à direção do Partido dos Trabalhadores (PT), como o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, e o ex-presidente do partido, José Genoino.

A previsão é de que a primeira fase do julgamento - quando todos os advogados da defesa serão ouvidos - decorra até o final deste mês.

A segunda fase, quando os 11 juízes do Supremo proferirão sua decisão a respeito de cada réu em separado, deverá começar apenas em setembro.

O processo envolve suspeitos de um esquema de corrupção conhecido no Brasil como "mensalão", que incluía o pagamento de uma quantia fixa mensal a deputados da base aliada do governo, a troco de apoio político.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG