Mundo

Kasparov em Lisboa compara Vladimir Putin a Adolf Hitler

Kasparov em Lisboa compara Vladimir Putin a Adolf Hitler

O russo Garry Kasparov reuniu, esta terça-feira, com o ministro da Educação, Nuno Crato, em Lisboa, no sentido de ajudar a implementar o xadrez - modalidade de que é Grande Mestre e ex-campeão do mundo - como ferramenta importante e fulcral no processo educativo de crianças até os nove anos de idade.

À margem da iniciativa, o russo, que atualmente solicitou a nacionalidade croata, é um dos maiores e mais conhecidos opositores a Vladimir Putin e, por isso, a questão da Crimeia não lhe passou ao lado. Kasparov avisa que está a em risco a estabilidade mundial e que se asitiu a algo apenas comparável ao que Hitler e Saddam Hussein fizeram.

"Os Estados Unidos e União Europeia deviam reagir. O que enfrentamos agora é o fim do mundo que conhecemos desde 1945. Desde então, ninguém, além de Sadam Hussein, anexou um território vizinho. Há muitas guerras, mas anexação é só esta. Primeiro foi a Áustria com Hitler, Kuwait e agora a Crimeia com Putin. É um grito por uma resposta, porque se nada for feito, todo o ideal da União Europeia, que se baseia em consenso e conversações, desaparece. Não nos esqueçamos que a integridade territorial da Ucrânia tem sido garantida pela Rússia, Estados Unidos e Reino Unido em troca de armas nucleares da Ucrânia em 1994", explicou.

Kasparov, preso várias vezes por ser oposição a Vladimir Putin, alertou para os perigos dos desejos expansionistas do presidente russo, Vladimir Putin. "Há muitas formas de parar isto. A economia russa está dependente do Ocidente e, se houver um bloqueio forte e efetivo, a Rússia não resiste muito tempo, ao passo que a União Europeia pode sempre encontrar alternativas ao fornecimento de petróleo, por exemplo, nas reservas norueguesas. Esta posição de abuso não pode ser tolerada, o resultado foi esta anexação e pode não ficar por aqui, porque no seu discurso de hoje, Putin já fala na Moldávia e no Este da Ucrânia. O que está em causa é a estabilidade mundial", avisou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG