EUA

Keechant Sewell é a primeira mulher a liderar a polícia de Nova Iorque

Keechant Sewell é a primeira mulher a liderar a polícia de Nova Iorque

Keechant Sewell será a primeira mulher a comandar a polícia de Nova Iorque, a maior força policial dos Estados Unidos, revelou na quarta-feira o recém-eleito presidente da Câmara daquela cidade, Eric Adams.

Eleito a 2 de novembro, o presidente da Câmara de Nova Iorque nomeou Keechant Sewell, oficial da polícia de Long Island, como a próxima comissária de polícia da cidade, que ser irá tornar ainda a terceira pessoa negra a ocupar o cargo.

Eric Adams, ex-capitão da polícia de Nova Iorque, divulgou na quarta-feira a escolha, que quebra barreiras num dos cargos mais importantes e poderosos dentro da sua administração, notícia a agência AP.

PUB

"É a mulher certa para o trabalho", salientou o autarca, durante uma conferência de imprensa no "seu" bairro em Queens, onde surgiu ao lado de Sewell.

"Carregou consigo uma marreta ao longo da carreira e esmagou todos os telhados de vidro colocados no seu caminho. Hoje [quarta-feira], destruiu o último de que precisamos na cidade de Nova Iorque", acrescentou Eric Adams.

Keechant Sewell, de 49 anos, atualmente chefe dos detetives da polícia do condado de Nassau, no Estado de Nova Iorque, substitui Dermot Shea, que se reformou da NYPD [polícia de Nova Iorque] após 30 anos.

Quer a nova chefe da polícia, quer o novo presidente da Câmara iniciam funções em 1 de janeiro de 2022.

Durante a campanha, Eric Adams tinha prometido que iria nomear uma mulher como comissária.

A ex-chefe de Seattle, Carmen Best, a comissária da Filadélfia, Danielle Outlaw, a ex-chefe de Newark, Ivonne Roman, e a chefe de patrulha do NYPD, Juanita Holmes, eram também apontadas como candidatas.

Para o novo "Mayor" da cidade norte-americana, Sewell destaca-se pela sua "inteligência emocional", descrevendo-a como "calma, controlada e confiante".

As últimas pessoas de cor negra a comandarem o NYPD foram Benjamin Ward e Lee Brown, que serviram nas décadas de 1980 e 1990.

Como missão, Keechant Sewell procurará manter os níveis de criminalidade baixos, depois de anos em que atingiram níveis históricos.

O aumento dos tiroteios e homicídios fazem parte de uma tendência nacional registada durante a pandemia de covid-19, embora as forças de segurança também responsabilizem as reformas estatais que eliminaram a prisão preventiva para muitas acusações.

Keechant Sewell salientou que irá estar focada "em crimes violentos", principalmente aqueles que envolvam armas de fogo.

"Estamos num momento crucial em Nova Iorque, pois a nossa cidade enfrenta um duplo desafio de segurança pública e responsabilidade policial. Estes não são mutuamente exclusivos", referiu ainda durante a conferência.

Quer o novo presidente da Câmara de Nova Iorque, quer a nova chefe da polícia, comprometeram-se também a diversificar o NYPD, que entre os 35 mil operacionais, cerca de 45% são brancos, 30% hispânicos, 15% negros e 10% asiáticos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG