Mundo

Lava do vulcão do Fogo ultrapassou Bangaeira e avançou 300 metros

Lava do vulcão do Fogo ultrapassou Bangaeira e avançou 300 metros

A lava do vulcão da ilha cabo-verdiana do Fogo avançou, esta segunda-feira de madrugada, 300 metros em direção ao pequeno casal desabitado de Fernão Gomes, depois de ter destruído as povoações de Portela e Bangaeira.

Aleida Monteiro, do Gabinete de Comunicação do Governo de Cabo Verde, que se encontra em São Filipe, "capital"da ilha do Fogo, indicou que a avaliação provisória feita pelos técnicos da Proteção Civil revela que a frente única de 300 metros de largura, criada após a lava ultrapassar Bangaeira, dividiu-se em duas, com um caudal mais estreito, que entretanto diminuiu ligeiramente a velocidade.

"A lava já saiu de Bangaeira e percorreu 300 metros. Ao que tudo indica, está a avançar em direção a Fernão Gomes", um casal de apoio aos agricultores e pastores, desabitado, no vale que se estende pela encosta nordeste de Chã das Caldeiras, a meio caminho de Monte Velha, indicou Aleida Monteiro.

A assessora cabo-verdiana, realçando que a avaliação matinal ainda está por concluir, adiantou que "algumas" habitações que se situam na parte mais alta de Bangaeira não foram destruídas, não sabendo precisar quantas, tendo a lava prosseguido a "marcha" seguindo pela pequena inclinação do vale, onde não encontra obstáculos.

A lava que jorra do vulcão que assola a ilha do Fogo há 16 dias já ocupa mais de dois terços da zona de Chã das Caldeiras, planalto que serve de base aos vários cones vulcânicos do Fogo, tanto para o lado sul, em direção à entrada do Parque Natural da ilha, como para nordeste, tendo ultrapassado Portela e Bangaeira, sem provocar vítimas.

Aleida Monteiro assegurou que as duas equipas técnicas da Proteção Civil cabo-verdiana encontram-se no terreno 300 metros mais abaixo da altitude média de Chã das Caldeiras a monitorar de perto a evolução dos acontecimentos.

A quase totalidade do casario de Bangaeira está rodeado pela lava e, em Portela, permanecem de pé as paredes da Adega Cooperativa de Chã das Caldeiras, que, nas palavras de Aleida Monteiro, está "ilhada", uma vez que a torrente entrou pelas traseiras do edifício e parou e, na parte da frente, estacou a poucos metros da entrada principal.

Se Monte Velha for atingido pela lava, a torrente ganhará novamente velocidade, dado o elevado desnível, tendo pela frente as pequenas localidades de Pai António, Feijoal e Fonsaco, que "muram" a segunda maior cidade da ilha do Fogo, Mosteiros, que alberga pouco mais de 9.500 dos cerca de 37.000 habitantes da ilha, já junto ao mar.

No entanto, tudo vai depender da inclinação do terreno, uma vez que a lava poderá seguir para oeste, em direção a Corvo, Achada Grande e Relva, onde se estima residirem cerca de duas mil pessoas.

"Mas tudo é ainda muito incerto", insistiu Aleida Monteiro, que adiantou que a equipa de especialistas está a monitorar a atividade com dois postos de observação.

O centro do planalto está praticamente coberto de lava, que, nalguns pontos, atinge os oito metros de altura, tendo obstruído também a única estrada de acesso a Portela e Bangaeira.

Segundo os dados do Censo de 2010, o último efetuado em Cabo Verde, a ilha do Fogo é a quarta com mais população (37.071 habitantes, 7,5% do total do país, atrás das de Santiago, São Vicente e Santo Antão), distribuída pelos três concelhos - São Filipe (22.248 - 4,5%), Mosteiros (9.524 - 1,9%) e Santa Catarina (5.299 - 1,1%).

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG