Mundo

Líbia não se responsabiliza por jornalistas que "entraram ilegalmente" no país

Líbia não se responsabiliza por jornalistas que "entraram ilegalmente" no país

As autoridades líbias disseram, esta terça-feira, aos jornalistas que "entraram ilegalmente" na Líbia que não se responsabilizam pela sua segurança, num comunicado distribuído em Tripoli.

A Líbia "não assume qualquer responsabilidade jurídica ou moral quanto ao perigo que pode ameaçar a segurança pessoal dos jornalistas em caso de infracção das regras", indicou em comunicado o comité geral para a imprensa estrangeira, que depende do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

O comité assinala que há uma "situação excepcional" na Líbia causada pelo "fenómeno de porte ilegal de armas por elementos da Al-Qaeda, outros elementos terroristas e criminosos".

A advertência foi feita numa altura em que as forças fiéis ao regime de Muammar Kadafi ganham terreno em relação aos rebeldes. Hoje, atacaram a localidade de Ajdabiya, último reduto das forças que se opõem a Kadafi antes de Benghazi, a segunda maior cidade do país.

Dezenas de jornalistas estrangeiros chegaram a território líbio através da fronteira com o Egipto para fazer a cobertura da revolta na região leste do país, controlada pelas forças da oposição desde finais de Fevereiro.