Mundo

Líder da oposição venezuelana regressa a prisão domiciliária

Líder da oposição venezuelana regressa a prisão domiciliária

Um dos líderes da oposição venezuelana Leopoldo Lopez regressou no sábado à noite a casa, onde vai continuar em prisão domiciliária, depois de ter permanecido quatro dias numa cadeia militar, anunciou a mulher.

"Acabam de trazer o Lepoldo para casa" anunciou a mulher na conta da rede de mensagens instantâneas Twitter.

Na mensagem, publicada pelas 22:45 (03:45 em Lisboa), Lilian Tintori sublinhou que o casal continua "com mais convicção e mais firmeza para conseguir a paz e a liberdade da Venezuela".

O líder do partido Vontade Popular (centro-esquerda) foi tirado à força da sua residência pelos serviços secretos venezuelanos, no dia 01 de agosto, e levado para a prisão militar de Ramo Verde (a sul de Caracas).

Lopez tinha saído do estabelecimento de Ramo Verde três semanas antes, para cumprir a sua pena em regime de prisão domiciliária.

Horas depois de ser tirado à força de casa, o Supremo Tribunal de Justiça (STJ) venezuelano justificou a medida por existir risco de fuga.

Leopoldo López foi transferido a 08 de julho último, da prisão militar de Ramo Verde para a sua casa, depois de ter passado mais de três anos e quatro meses detido a cumprir uma sentença de quase 14 anos.

O líder da oposição foi condenado por ter convocado, em 2014, uma manifestação que degenerou em violência, causando três mortos.