EUA

Líder dos Proud Boys preso por destruição de propriedade antes do comício de apoio a Trump

Líder dos Proud Boys preso por destruição de propriedade antes do comício de apoio a Trump

Marcha a favor do presidente derrotado está marcada para quarta-feira em Washington, dia em que o Congresso confirma a eleição que deu vitória a Joe Biden

Enrique Tarrio, o líder dos Proud Boys, grupo armado de extrema-direita com estrutura miliciana e apoio incondicional ao presidente Donald Trump, está preso desde esta segunda-feira, 4 de janeiro. Tarrio, de 36 anos, tinha acabado de aterrar no aeroporto de Washington, e ao desembarcar na capital dos EUA, onde iria participar no comício de protesto contra a derrota do ainda presidente, foi abordado pelas autoridades e ficou sob custódia policial.

O comício, que juntará outros grupos ativistas da supremacia branca e fanáticos do presidente republicano, incluindo os Hammerskins e a Patriot Front, mas também os grupos Stop The Steal ou Team Trump, está marcado para esta quarta-feira, 6 de janeiro, em frente ao Capitólio. É justamente no dia em que o Congresso norte-americano vai ratificar a vitória do democrata Joe Biden no Colégio Eleitoral (306 lugares contra 232; ou 78 milhões de votos contra 70 milhões de Trump), e que o confirmará como 46º presidente dos EUA; a tomada de posse está marcada para 20 de janeiro ao meio-dia.

Em comunicado, o Departamento de Polícia Metropolitana de Washington, que prendeu o comandante dos Proud Boys, disse que Tarrio foi acusado de "destruição de propriedade", num incidente com fogo ocorrido em dezembro e no qual Tarrio queimou faixas de pano do grupo Black Lives Matter, ligado aos direitos dos afro-americanos e à esquerda, após uma manifestação de apoio a Trump. Mais tarde, Enrique Tarrio gabou-se nas redes sociais de ter sido ele a colocar os estandartes em chamas.

As autoridades disseram que Tarrio, que é um criminoso condenado, foi preso enquanto estava na posse de dois carregadores de armas de fogo de alto calibre, sendo depois acusado de "possuir um dispositivo armado de alta capacidade".

O líder dos Proud Boys, que ocupa também uma posição de comando no grupo Latinos For Trump, que tem sede em Miami e ligações diretas à Casa Branca, também foi acusado pelo Comité de Advogados para os Direitos Civis naquele incidente com a destruição das faixas. Pode, também, ser acusado de incitamento ao ódio devido a várias mensagens ameaçadoras e violentas publicadas nas redes sociais antes do comício de Trump de dezembro e que resultou em confrontos em Washington

PUB

Na rede social Parler, que é muito usada pelos Proud Boys, os seguidores de Tarrio expressaram raiva e frustração com a notícia da sua prisão e prometem reagir na manifestação marcada para amanhã, quarta-feira.

As autoridades policiais da capital dos EUA já estão em alerta máximo e o mayor da cidade está a pedir aos moradores para evitarem o centro da cidade durante os protestos. Estará mesmo a ser equacionada a possibilidade de instaurar um recolher obrigatório de forma a desencorajar a violência e os confrontos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG