Reino Unido

Líderes britânicos já votaram, eleitores enfrentam filas para votar

Líderes britânicos já votaram, eleitores enfrentam filas para votar

Os líderes dos principais partidos britânicos já votaram nas eleições desta quinta-feira, consideradas "as mais importantes numa geração", enquanto eleitores anónimos partilham no Twitter imagens de filas para votar como dizem nunca ter visto antes.

O primeiro-ministro e candidato do Partido Conservador, Boris Johnson, foi o primeiro dos líderes a votar, tendo chegado à mesa de voto em Westminster, Londres, acompanhado do seu cão, cerca das 8.15 horas.

Os primeiros-ministros costumam votar em si próprios no círculo eleitoral que representam, mas Boris Johnson optou por votar na circunscrição de Cities of London and Westminster, onde fica a residência oficial, Downing Street, e não em Uxbridge and South Ruislip, no oeste de Londres, onde é candidato.

O círculo onde Johnson votou esta quinta-feira é dominado pelos Conservadores há décadas, mas na última eleição os 'Tories' tiveram uma maioria de apenas 3148 votos, pelo que é considerado um círculo 'marginal', ou seja, onde há risco de mudança.

Além disso, o partido enfrenta a concorrência do antigo deputado trabalhista Chuka Umunna, que abandonou o 'Labour' este ano para se juntar a outros deputados pró-europeístas no grupo 'Change UK' e acabou por se filiar os Liberais Democratas, partido pelo qual concorre esta quinta-feira.

Na circunscrição onde concorre, Johnson enfrenta uma forte campanha que apela ao voto útil para lhe retirar o lugar.

O líder trabalhista, Jeremy Corbyn, votou na sua circunscrição de Islington, no norte de Londres, onde foi recebido por um pequeno grupo de apoiantes e também por uma mulher manifestante vestida como a personagem Elmo, da Rua Sésamo, que foi impedida pelos seguranças de se aproximar do candidato quando entrava na assembleia de voto.

Perante a agitação, Corbyn pediu então aos envolvidos no incidente: "Podemos parar com as discussões, por favor?"

A líder dos Liberais Democratas, Jo Swinson, votou na sua cidade de Glasgow, na Escócia, assim como a líder do Partido Nacionalista Escocês, Nicola Sturgeon.

A Escócia foi já hoje palco de um incidente, tendo a polícia provocado uma explosão controlada de um objeto suspeito junto a uma mesa de voto em North Lanarkshire e detido um homem de 48 anos no âmbito do mesmo caso.

A polícia garantiu que a explosão tinha sido provocada por precaução e afirmou que a investigação continua.

Entretanto no Twitter sucedem-se fotografias e relatos de longas filas para votar em algumas assembleias de voto em cidades como Londres ou Manchester.

Outras Notícias