Política

Liga e 5 Estrelas com "todas as condições" para formar governo em Itália

Liga e 5 Estrelas com "todas as condições" para formar governo em Itália

Os líderes do Movimento 5 estrelas (M5S), que é anti-sistema, e da Liga, extrema direita, anunciaram esta quinta-feira que foram reunidas "todas as condições" para formarem um governo de unidade nacional.

"Foram reunidas todas as condições para um governo político M5S/Liga", anunciaram esta quinta-feira Luigi di Maio e Matteo Salvini, num comunicado divulgado pelo M5S.

Na quarta-feira, o líder do M5S, Luigi Di Maio, defendeu que fosse escolhido outro nome para ministro da Economia, depois de o chefe de Estado, Sergio Mattarella, ter vetado a escolha inicial.

Mattarella vetou Paolo Savona para o Ministério da Economia de um governo de coligação M5S-Liga, devido às suas posições eurocéticas, mencionando, no domingo, as críticas deste economista ao euro.

Na segunda-feira, Mattarella deu a responsabilidade a Carlo Cottarelli, um ex-quadro do Fundo Monetário Internacional, de procurar constituir um governo neutral de tecnocratas para conduzir o país para eleições antecipadas.

No entanto, caso os dois partidos populistas apresentem uma proposta válida, o primeiro-ministro designado pelo presidente admitiu recuar perante "o nascimento de um governo político".

Presidente da República italiano volta a convocar Conte para formar Governo

O Presidente da República de Itália, Sergio Mattarella, convocou esta quinta-feira novamente Giuseppe Conte, um jurista sem experiência política proposto pelo Movimento 5 Estrelas (antissistema) e pela Liga (extrema-direita) para formar Governo.

Sergio Matarella receberá Giuseppe Conte no Palácio do Quirinal pelas 21 horas locais (20 horas em Lisboa), para, provavelmente, encarregar o jurista de formar um novo Governo, depois de o Movimento 5 Estrelas (M5S) e a Liga terem chegado a acordo esta quinta-feira.

Mattarella vetou Paolo Savona, de 81 anos, para liderar o Ministério da Economia de um Governo de coligação M5S-Liga, devido às suas posições eurocéticas.

Depois disso, Giuseppe Conte renunciou à tarefa de formar um novo Governo, em Itália, como lhe tinha pedido o chefe de Estado, face às dificuldades encontradas para escolher o seu executivo.

Na segunda-feira, o Presidente da República italiano deu a responsabilidade a Carlo Cottarelli, um ex-quadro do Fundo Monetário Internacional (FMI), de procurar constituir um Governo neutral de tecnocratas para conduzir o país para eleições antecipadas.

Esta quinta-feira, Cottarelli recuou, abrindo caminho ao Governo político do M5S/Liga.

"Já não é necessário formar um Governo de tecnocratas", disse o antigo diretor do FMI aos jornalistas depois de se ter encontrado com o Presidente da República para renunciar, formalmente, ao cargo.

Os líderes do M5S e da Liga anunciaram hoje que foram reunidas "todas as condições" para formar um Governo de unidade nacional.

"Foram reunidas todas as condições para um governo político M5S/Liga", anunciaram esta quinta-feira Luigi di Maio e Matteo Salvini num comunicado divulgado pelo M5S.