bin Laden

Livro revela que Bin Laden já estava morto quando os fuzileiros entraram no quarto

Livro revela que Bin Laden já estava morto quando os fuzileiros entraram no quarto

Um livro escrito por um antigo militar que participou na operação de captura de Osama bin Laden revela que o então líder da al-Qaeda já estava morto quando os fuzileiros norte-americanos entraram no seu quarto.

A informação foi divulgada esta quarta-feira pelo jornal "Huffington Post", alguns dias antes do lançamento da obra, que não conta com a aprovação das autoridades militares norte-americanas.

O livro "No Easy Day" ("Um Dia Difícil", em português), cujo lançamento estava inicialmente previsto para 11 de setembro e que foi antecipado para 4 de setembro, pretende ser "uma narrativa em primeira mão da missão que matou Bin Laden", segundo a descrição da editora responsável pela publicação, a Penguin USA, em Nova Iorque.

O autor, que adota o pseudónimo Mark Owen, relata no livro os últimos momentos que antecederam a captura do líder da rede terrorista al-Qaeda numa casa em Abbottabad, Paquistão, em maio de 2011.

De acordo com o jornal, que teve acesso a um exemplar da obra, o autor narra que quando os "Navy Seals" (uma força especial dos fuzileiros norte-americanos) entraram no quarto, Bin Laden já tinha sido abatido com um tiro na cabeça.

"Faltavam menos de cinco degraus para o patamar quando ouvi tiros disparados com silenciador", escreve Mark Owen. Quando os militares das forças especiais entraram no quarto, Bin Laden estava no último estertor. "Apontámos as nossas armas para o seu peito e disparámos até o seu corpo ficar até ele parasse os movimentos", acrescenta.

Washington afirmou que Bin Laden não estava armado e que tinha resistido ao ataque, tendo sido morto com o tiro na cabeça no seu quarto. O autor do livro contradiz esta versão. "Havia duas armas no quarto, mas ele não não tinha sequer preparado uma defesa".