Mundo

Londres blindada por 16 mil polícias à espera do pior

Londres blindada por 16 mil polícias à espera do pior

David Cameron prometeu mão pesada e a polícia poderá usar balas de borracha para travar os motins. Esta terça-feira, comércio e serviços fecharam mais cedo e os habitantes foram aconselhados a ficar em casa. 16 mil polícias estão nas ruas preparados para o pior.

Esta terça-feira foi vivida em clima de tensão, com uma calma aparente. Temendo o alastrar da violência, os londrinos acompanhavam os desenvolvimentos dos confrontos através do Twitter e de um mapa que foi criado na Internet com a actualização constante de locais perigosos.

Houve pequenos tumultos no centro de Manchester e incidentes isolados nas cidades de Wolverhampton e West Bromwich, próximas de Birmingham.

"As pessoas estão assustadas e a estranhar tudo o que está a acontecer. Não esperavam que motins como estes acontecessem aqui", relatou, ao JN, Joana Koch Ferreira, designer gráfica portuguesa a trabalhar em Londres. "As lojas e os escritórios fecharam mais cedo e a polícia está a dizer às pessoas para ficarem casa à noite".

À semelhança de outros países, também o Ministério dos Negócios Estrangeiros português aconselhou "cidadãos nacionais a evitar as zonas mais afectadas pelos tumultos e a agir com toda a prudência, em particular durante o período nocturno". Não há registo de portugueses entre os feridos.

No dia em que se confirmou a morte da primeira vítima dos motins que têm fustigado Londres e Birmingham desde sábado - um homem de 26 anos baleado em Croydon que não resistiu aos ferimentos -, o primeiro-ministro prometeu que os responsáveis pelos tumultos e pela violência irão "sentir a força da lei".

"Se vocês têm idade suficiente para cometer esses crimes, têm idade suficiente para enfrentar as punições", alertou David Cameron, depois de a polícia ter confirmado a existência de adolescentes entre os 563 detidos.

PUB

Autorizadas balas de plástico

Depois de reunir com o Cobra, comité para situações de emergência, David Cameron anunciou que o número de polícias nas ruas de Londres passaria de seis mil para 16 mil agentes e que os procedimentos nos tribunais serão acelerados.

Mais: a polícia poderá usar balas de borracha, o que, a acontecer, será a primeira vez num tumulto no Reino Unido. Para já está afastada a hipótese de intervenção do Exército.

O Governo decidiu também rever os planos para os Jogos Olímpicos de 2012, cuja maior preocupação era, até agora, a possibilidade de atentados terroristas. O jogo particular que a selecção inglesa de futebol ia disputar nesta quarta-feira frente à Holanda, em Londres, foi cancelado.

Entretanto, a polícia divulgou imagens captadas por câmaras de videovigilância e apelou à população que colaborasse na identificação dos "criminosos", como os considerou o primeiro-ministro. Os habitantes já se demonstraram prontos a colaborar, mas pedem que, em troca, a polícia trave a delinquência.

Outras Notícias