Brasil

Lula da Silva diz que resistiu à "safadeza" do "lado podre" da Justiça

Lula da Silva diz que resistiu à "safadeza" do "lado podre" da Justiça

O ex-Presidente do Brasil Lula da Silva disse, na sexta-feira, que resistiu, durante 580 dias de prisão, à "safadeza" que, disse, o "lado podre" do Ministério Público, da Polícia e da Receita Federal fizeram para "criminalizar a esquerda brasileira".

"Todo o dia vocês eram o alimento da democracia que eu precisava para resistir à safadeza que o lado podre do Estado brasileiro fez comigo e com a sociedade brasileira. O lado podre da justiça, do Ministério Público, da Polícia Federal, da Receita Federal, para tentar criminalizar a esquerda, o PT [Partido dos Trabalhadores], o Lula", declarou Luiz Inácio Lula da Silva.

O antigo Presidente, nas suas primeiras declarações à saída da sede da Polícia Federal de Curitiba, dirigia-se aos militantes do PT que, durante a sua prisão, mantiveram uma vigília no exterior do edifício.

A saída de Lula da Silva foi saudada por centenas de apoiantes que se concentravam no local, entoando o hino do Brasil e cantando "olé, olé, olé, Lula livre" ou "aqui está o povo de Lula sem medo de lutar", enquanto lançavam fogo de artifício.

"Eu, que a vida inteira estive conversando com o povo brasileiro, não pensei que no dia de hoje eu poderia estar aqui conversando com homens e mulheres que durante 580 dias gritaram aqui 'bom dia Lula', 'boa tarde Lula', 'boa noite Lula'. Não importa que estivesse chovendo, 40 graus ou zero graus", disse.

O antigo Presidente brasileiro Lula da Silva saiu hoje em liberdade, cerca das 17:40 locais (20:40 em Lisboa), após o Supremo Tribunal Federal brasileiro (STF) ter decidido anular prisões em segunda instância, como era o caso do antigo chefe de Estado, preso desde abril de 2018.

Outros Artigos Recomendados