Covid-19

Madrid alarga confinamento parcial a mais dez municípios

Madrid alarga confinamento parcial a mais dez municípios

O Governo regional de Madrid alargou a amplitude do confinamento parcial em prática na capital espanhola desde segunda-feira a mais uma dezena de municípios, afetando mais de um milhão de pessoas.

O vice-ministro do Governo Regional de Madrid, Antonio Zapatero, anunciou, esta sexta-feira, o alargamento às restrições de mobilidade e aos horários do comércio a mais uma dezena de municípios, afetando pelo menos mais 167 mil pessoas, o que alarga para mais de um milhão o total de pessoas afetadas pelo confinamento parcial adotado desde segunda-feira, para tentar controlar a propagação da covid-19.

O confinamento parcial foi alargado agora a seis municípios da capital madrilena, estendendo-se ainda a novas áreas como Fuenlabrada (Panaderas), Alcorcón (Miguel Servet e Doctor Tueta). Em todas, foi ultrapassada a barreira das mil infeções por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias.

O ministro espanhol da Saúde, Salvador Illa, disse, em conferência de Imprensa, que esperava medidas mais ambiciosas por parte do Governo Regional, como uma limitação mais drástica à circulação de pessoas e à capacidade das esplanadas.

"Passaram quatro dias desde as medidas de segunda-feira e em Madrid não mudou nada, não se passou nada e o ministério não nos deu nenhuma indicação sobre a mobilidade", disse Zapatero, em resposta às questões colocadas pelo ministro da Saúde.

"As medidas têm um fundamento técnico e procuram evitar a propagação do vírus", argumentou o vice-ministro do Governo Regional madrileno, que anunciou a reabertura de hotéis medicalizados. Usados um pouco por toda a Europa no início da pandemia, servem para albergar pacientes com sintomas ligeiros e que não têm condições para fazer a quarentena em casa.

"A prioridade é travar o vírus. Recomendamos que evitem todos os movimentos não essenciais", disse Zapatero. Além das zonas de Fuenlabrada (Panaderas) e Alcorcón (Miguel Servet e Doctor Tueta), entraram na lista de confinamento parcial os municípios madrilenos de García Noblejas, Vicálvaro-Artilleros, Orcasitas, Campo de la Paloma e Rafael Alberti.

No total, estas cerca de 167 mil pessoas ficam sujeitas às mesmas regras que desde segunda-feira eram aplicadas a cerca de 850 mil madrilenos, alargando para pouco mais de um milhão o total de cidadãos da capital espanhola e arredores sujeitos a limitações de mobilidade.

Estes cidadãos estão proibidos de deixar o bairro de residência, exceto por motivos muito específicos como ir trabalhar ou estudar, ir ao médico, ou para cuidar de pessoas dependentes.

Foi também decretado o encerramento de jardins e parques, enquanto a capacidade dos estabelecimentos comerciais foi reduzida em 50%.

As autoridades sanitárias também farão controlos aleatórios e de caráter dissuasor para reforçar o cumprimento destas regras. Enquanto não há respaldo judicial para estas medidas, as autoridades não podem nem estão a passar multas, apenas a dissuadir as pessoas de violarem os regulamentos.

Outras Notícias