Catalunha

Madrid considera inadmissível declarar independência e suspendê-la

Madrid considera inadmissível declarar independência e suspendê-la

O Governo espanhol considerou inadmissível "efetuar uma declaração de independência para de imediato deixá-la em suspenso de forma explícita", numa alusão ao discurso do presidente da Catalunha, Carles Puigdemont, esta terça-feira, no Parlamento regional.

Fontes do Governo de Madrid asseguraram à agência noticiosa Efe que não se pode aceitar a validade da lei catalã do referendo, que está suspensa pelo Tribunal constitucional de Espanha, nem considerar válido a suposta contagem de um referendo "fraudulento e ilegal" realizado em 1 de outubro.

"E muito menos" dar por garantido que os catalães se pronunciaram pela independência, acrescentaram as mesmas fontes, que insistiram não ser admissível "fazer uma declaração implícita de independência para de imediato deixá-la em suspenso de forma explícita".

O presidente da Catalunha declarou hoje a independência desta região autónoma de Espanha, apesar de ter suspendido os seus efeitos durante várias semanas para desencadear um processo de diálogo.