Polémica

Mãe quer banir livro "A Bela Adormecida" das escolas

Mãe quer banir livro "A Bela Adormecida" das escolas

Com a sucessão de denúncias sobre violação, assédio sexual e outros comportamentos menos próprios com as mulheres, uma mãe inglesa decidiu abrir uma nova frente de combate: o livro "A Bela Adormecida".

Sara Hall tem um filho de seis anos e conseguiu gerar debate a nível internacional com uma simples mensagem no Twitter, que pôs em causa parte da memória coletiva das infâncias de milhões de crianças.

Segundo ela, os comportamentos sexuais nunca irão mudar, enquanto continuarmos a ver "narrativas como estas na escola", escreveu numa mensagem acompanhada por imagens de um livro do conto infantil. Mas então qual é o problema que esta mãe encontra na história?

Sarah lembra que, na história, um príncipe beija uma mulher inconsciente para a salvar de uma maldição, o que corresponde a uma "mensagem sexual inapropriada" e, como tal, contactou a escola para ver o livro retirado do currículo dos alunos mais jovens.

"Julgo que o problema específico na história da Bela Adormecida é o comportamento sexual e o consentimento. Trata-se de dizer: Isto ainda é relevante? É apropriado?", revelou ao jornal "Newcastle Chronicle".

O caso está a gerar grande controvérsia nas redes sociais e chegou a jornais de vários países, que colocam a questão: será que Sarah tem razão? Será que os contos de fadas, que relatam, quase sempre, a história de uma mulher frágil salva por homem ainda têm razão de ser? Ou poderão ser usados para introduzir outros temas, como consentimento ou igualdade, na sala de aula?