Crime

Mafioso mais perigoso da Irlanda detido em Espanha após guerra entre famílias

Mafioso mais perigoso da Irlanda detido em Espanha após guerra entre famílias

Gerry Hutch, um dos criminosos mais perigosos da Irlanda, foi detido em Málaga, na Espanha, acusado de planear um assalto ao hotel Regency, na Irlanda, em 2016. O assalto ocorreu durante a pesagem de uma prova de boxe, tendo feito um morto.

A Guarda Civil com a colaboração das autoridades irlandesas conseguiram deter um dos mais poderosos líderes mafiosos da Irlanda, que estava escondido numa propriedade em Fuengirola, em Málaga, no sul de Espanha, desde 2016. A detenção é o resultado de uma investigação da polícia irlandesa, que emitiu um mandado de detenção europeu, por ter reunido provas suficientes que ligam Gerry Hutch à organização do assalto ao hotel em Dublin, na Irlanda.

A investigação, que começou em março deste ano, levou as unidades de segurança e de crime organizado da Guarda Siochána, polícia da Irlanda, a entrar em contacto com a Guarda Civil para proceder à detenção de Gerry Hutch, depois de ter localizado o homem de 58 anos no sul de Espanha.

Uma vigilância foi montada à porta da propriedade onde Gerry Hutch estava escondido. Vários agentes da Guarda Civil estavam a trabalhar em turnos de 24 horas, à espera do momento para conseguir entrar na propriedade e deter o homem ou que Gerry Hutch saísse do local.

De acordo com a Guarda Civil, Gerry Hutch "tinha uma rede logística que fornecia o necessário para que não precisasse de sair da propriedade". Porém, a polícia da Espanha revelou que Gerry Hutch saiu da propriedade, caminhando pelas ruas movimentadas de Málaga, fazendo muitas paragens e mudanças de direção até chegar a um conhecido restaurante, onde foi detido, tendo apresentado documentação falsa". Também a propriedade onde Gerry Hutch estava escondido foi revistada pela Guarda Civil a pedido da polícia irlandesa.

PUB

Gerry Hutch está detido sob custódia nas instalações da Guarda Civil, tendo sido negado o pagamento da fiança. No sábado passado, compareceu perante um tribunal em Madrid para uma audiência de instrução para enfrentar um processo de extradição para a Irlanda. O líder mafioso não revelou se iria lutar contra a extradição ou se iria concordar em regressar à Irlanda voluntariamente.

As autoridades acreditam que o assalto ao hotel Regency, em 2016, tinha como principal alvo Daniel Kinahan, filho do maior inimigo de Gerry Hutch. Seria um ato de vingança devido à morte do sobrinho, Gary Hutch, por um membro do grupo da família de Kinahan. Gary Hutch foi morto a tiro em Mijas, em Espanha, em 2015, numa disputa por dinheiro, onde acabou morto por James Quinn, que agora enfrenta uma pena de prisão de 22 anos pelo homicídio. O ataque que levou à morte de Gary Hutch foi considerado o momento em que desencadeou uma séria guerra entre as duas famílias.

O assalto ao hotel, um dos vários episódios da disputa entre as famílias de criminosos da Irlanda, ocorreu quando um grupo de cinco homens disfarçados de polícias e carregados com armas semiautomáticas AK-47 invadiu a pesagem de uma prova de boxe entre o irlandês Jamie Kavanagh e o português João Bento. O ataque acabou com um morto, David Byrne, que seria membro da família Kinahan.

A disputa entre as duas famílias rivais já fez cerca de vinte mortos, de ambos os lados, entre a Irlanda e Espanha, incluindo o irmão de Gerry Hutch, morto em Dublin três dias depois do ataque ao hotel.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG