Operação

Maior traficante de pessoas do mundo foi apanhado no Brasil

Maior traficante de pessoas do mundo foi apanhado no Brasil

Saifullah al Mamun, natural do Bangladesh, considerado o maior traficante de pessoas do mundo, foi um dos oito detidos numa operação da Polícia Federal do Brasil contra o tráfico de migrantes, na quinta-feira.

Mamun estava na "lista negra" da Interpol e a prisão foi decretada durante a última semana nos EUA. O traficante foi apanhado no Brás, região central de São Paulo, por suspeitas de liderar um esquema ilegal para transportar pessoas sul-asiáticas para os EUA, passando pelo Brasil. Pela rota, cobrava por cada pessoa 47 mil reais (cerca de 10 mil euros).

As investigações que levaram à detenção começaram em maio de 2018, após uma denúncia anónima à Polícia Federal, que teve a cooperação da agência americana para imigração, a U.S. Immigration and Customs Enforcement. A operação, batizada "Estação Brás" no Brasil, decorreu simultaneamente em 20 países.

Às autoridades americanas, os migrantes contaram que entraram no Brasil pelo Aeroporto Internacional de Guarulhos, com passaportes e documentos falsos. Mamun oferecia o registo de imigrante falsificado.

Estes migrantes são, na sua maioria, provenientes de países como Afeganistão, Bangladesh, Índia e Paquistão, entre outros países do sul da Ásia.

Segundo a Polícia Federal, os traficantes mantinham contacto com taxistas por aplicações de conversa, como o WhatsApp ou Messenger, e mandavam fotos dos migrantes para que os motoristas pudessem reconhecê-los à chegada e levá-los até à fronteira do Brasil com o Peru. A seguir, atravessavam os seguintes países: Equador, Colômbia, Panamá, Costa Rica, Nicarágua, Honduras, El Salvador, Guatemala e México.