Covid-19

Mais de 100 migrantes em quarentena em hotel abandonado em ilha da Grécia

Mais de 100 migrantes em quarentena em hotel abandonado em ilha da Grécia

Cerca de 190 migrantes retidos desde segunda-feira na ilha turística de Kea, na Grécia, estão desde esta quinta-feira em quarentena num hotel abandonado, devido a uma suspeita da Covid-19 dentro do grupo, afirmou o vice-presidente local.

O petroleiro em que seguiam ficou preso devido a uma tempestade na segunda-feira, junto ao porto de Kea. Entre os 190 refugiados, estão 39 menores, a maioria do Afeganistão, Irão e Somália, e uma pessoa com febre foi levada para Atenas para fazer um teste ao novo coronavírus responsável pela pandemia de Covid-19, disse o vice-presidente da ilha, Eleftherios Tzouvaras, à Afp.

Três mulheres grávidas e um refugiado ferido na perna foram também levados para a capital, enquanto três homens suspeitos de contrabando foram presos, acrescentou.

O restante grupo, atendido pelo pessoal da Cruz Vermelha, ficou em quarentena por 14 dias num hotel abandonado, no porto de Korissia "inadequado" para os refugiados, segundo o responsável.

Questionado pela agência de notícias francesa, o porta-voz do ministério das Migrações anunciou esta quinta-feira a transferência dos mesmos, "até domingo", para "campos como o de Malakasa", a cerca de quarenta quilómetros de Atenas, para onde foram transferidos dezenas de migrantes recém-chegados a Lesbos.

"Vários dias já passaram desde a chegada e não tiveram contacto com a população local", afirmou o porta-voz do ministério, garantindo que todas as precauções estão a ser tomadas, inclusive o transporte para o continente.

Já o vice-presidente local sublinhou que estão numa "pequena ilha turística" e que o grupo de refugiados "representa 10% da população", não tendo "infraestruturas para acomodá-los".