Mau tempo

Mais de 2200 voos cancelados até ao meio-dia nos EUA

Mais de 2200 voos cancelados até ao meio-dia nos EUA

As viagens aéreas continuam difíceis nos EUA, com mais de 2200 voos cancelados até ao final da manhã deste domingo devido a perturbações relacionadas com a pandemia e agravadas por ventos fortes, inundações e tempestades de neve.

Pouco depois das 11.30 horas em Washington (16.30 horas em Lisboa), 2201 voos domésticos, de ou para os EUA, já tinham sido cancelados, quase tantos quantos os 2.749 cancelados no dia anterior, de acordo com o 'site' da FlightAware consultado pela agência francesa AFP.

O número deste domingo representa mais de metade dos 3743 voos cancelados em todo o mundo no mesmo período (contra 4740 no sábado). Muitos voos, sem serem cancelados, atrasaram-se, tendo sido registados 2386 nos EUA e 7770 em todo o mundo.

PUB

Várias regiões dos EUA estão a ser afetadas por tempestades de neve, ventos fortes ou inundações. O transporte aéreo global também tem sido, desde o Natal, perturbado pela variante ómicron do novo coronavírus, mais contagiosa.

No sábado, primeiro dia do ano, cerca de 2500 voos foram cancelados de ou para os aeroportos norte-americanos.

A cidade de Chicago, no noroeste dos EUA, foi uma das mais afetadas devido a uma tempestade de neve que fez com que, no sábado, o aeroporto O'Hare tivesse cancelado 402 voos na origem e 425 no destino, a que se somaram 130 na origem e 143 no destino do aeroporto de Midway, seguindo-se Denver (Colorado) e Detroit (Michigan).

A falta de pessoal devido às infeções de covid-19 que têm afetado os voos e as respetivas tripulações também ficou evidente com a notícia sobre a companhia United Airlines, que ofereceu aos seus pilotos o triplo do salário durante grande parte do mês de janeiro para tentar minimizar os cancelamentos. Em concreto, e de acordo com nota da United enviada na sexta-feira à estação de televisão CNBC, o sindicato dos pilotos e a companhia aérea chegaram a acordo.

A empresa vai pagar mais de três vezes o salário aos pilotos que trabalham em voos abertos desde 30 de dezembro e 3 de janeiro, e três vezes mais para aceitarem voos adicionais entre os dias 4 e 29 de janeiro. O comunicado assinala ainda que a United registou um "grande número" de pilotos contagiados devido à "rápida expansão da variante ómicron".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG