Tensão

Mais de 30 mísseis disparados de Gaza contra Israel

Mais de 30 mísseis disparados de Gaza contra Israel

Mais de 30 mísseis foram disparados esta madrugada desde a Faixa de Gaza contra Israel, após confrontos em Jerusalém entre um grupo de judeus de extrema-direita, palestinianos e polícias, levando a um ataque de "retaliação" pelo exército israelita.

Segundo a agência de notícias Efe, que cita fontes palestinianas, o ataque contra Israel não fez "quaisquer danos ou ferimentos", enquanto do ataque contra alvos no Hamas no enclave não resultaram feridos, mas "foram registados danos materiais graves".

Os 36 foguetes disparados esta manhã representam o maior número de lançamentos desde fevereiro de 2020 e ocorrem num "quadro de tensão crescente" na área, depois de vários confrontos registados durante a última semana entre palestinianos e israelitas em Jerusalém.

Até agora nenhuma fação palestiniana em Gaza reivindicou os disparos, mas, descreve a Efe, "diferentes grupos armados emitiram uma declaração conjunta avisando Israel que pagaria um preço pela repressão das manifestações em Jerusalém".

A violência em Jerusalém começou há 10 dias, depois de a polícia israelita ter proibido multidões de pessoas na Porta de Damasco, na Cidade Velha, durante o mês santo muçulmano do Ramadão, algo que enfureceu a população palestiniana de Jerusalém Oriental, ocupada e anexada por Israel e desencadeou uma série de confrontos.

O ataque vindo de Gaza aconteceu depois de uma "noite particularmente violenta", da qual resultaram 120 feridos e 50 detidos, após "fogo cruzado envolvendo um grupo de judeus de extrema-direita cantando "Morte aos Árabes", palestinianos e polícias", noticia a agência AFP.

A polícia e os jovens palestinianos "brincaram ao gato e ao rato" perto da Porta de Damasco, após a oração final de sexta-feira por dezenas de milhares de adoradores na Esplanada das Mesquitas, o terceiro local mais sagrado do Islão, durante o mês muçulmano do Ramadão.

PUB

Os palestinianos atiraram garrafas de água e pedras à polícia, que usaram granadas atordoantes para tentar dispersar a multidão, enquanto eram registados mais incidentes em vários bairros palestinianos em Jerusalém Oriental.

Também na sexta-feira à noite, centenas de palestinianos reuniram-se na passagem de Qalandiya, que liga Israel e a Cisjordânia, e incendiaram vários objetos, atiraram pedras e cocktails Molotov no Túmulo de Raquel, um local sagrado judeu em Belém na Cisjordânia ocupada, havendo igualmente protestos em Ramallah, a sede da Autoridade Palestiniana.

Em retaliação, o exército israelita bombardeou, esta manhã alvos, do Hamas na Faixa de Gaza.

"Aviões de combate e helicópteros atingiram alvos militares do Hamas na Faixa de Gaza, incluindo infraestruturas subterrâneas e lança-foguetes", disse o exército israelita numa declaração, que detalhava que o ataque era uma retaliação pelo lançamento de projéteis a partir do enclave durante a madrugada.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG