À deriva

Mais de mil migrantes resgatados do Mediterrâneo

Mais de mil migrantes resgatados do Mediterrâneo

Mais de um milhar de migrantes foi resgatado este sábado do mar Mediterrâneo, retirados de barcos à deriva e levados por navios humanitários e pelas autoridades italianas para portos na Sicília e para a ilha de Lampedusa.

As autoridades costeiras italianas resgataram 532 pessoas, levadas para a ilha de Lampedusa, enquanto o "Ocean Vicking", um navio operado pelo grupo humanitário SOS Mediterranée, levou para um porto na Sicília 236 pessoas.

Outro navio humanitário, o "Sea-Watch 4", contabilizou só no dia de hoje, em várias operações, a recolha de 264 pessoas no mar Mediterrâneo, enquanto a televisão nacional italiana também reportou outro caso de um navio italiano que resgatou mais 49 migrantes.

O "Ocean Vicking" tinha retirado os migrantes de barcos de borracha há quatro dias, incluindo 119 menores não acompanhados, que foram este sábado conduzidos para o porto de Augusta, na Sicília.

Os ocupantes relataram ao SOS Mediterranee que foram forçados por traficantes na Líbia a embarcar nos pequenos barcos de borracha, empurrando-os para ondas altas.

Vários grupos humanitários têm vindo a apelar à União Europeia para enviar navios militares com patrulhas especiais para o mar Mediterrâneo, face às centenas de milhares de migrantes que continuam a ser resgatados, muitos deles não elegíveis para asilo.

A Itália, por seu turno, tem vindo a formar e a equipar as autoridades costeiras na Líbia para dissuadir a atividade de traficantes de seres humanos.

PUB

A UNICEF indicou que, desde janeiro, pelo menos 350 pessoas, incluindo mulheres e crianças, afogaram-se ou estão dadas como desaparecidas.

De acordo com o ministério italiano do Interior, nove mil migrantes chegaram a Itália nos primeiros quatro meses deste ano.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG