Síria

Mais de mil pessoas já morreram desde o início dos conflitos na Síria

Mais de mil pessoas já morreram desde o início dos conflitos na Síria

O secretário-geral das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, fez, sexta-feira, o primeiro balanço das vítimas mortais resultante da repressão na Síria, estimando mais de mil mortes desde o início da contestação, em Março.

Através de comunicado, citado pela Efe, Ki-moon, manifesta-se "alarmado" com a escalada de violência na Síria e pede o fim imediato da "repressão" sobre os manifestantes.

"Ki-moon está profundamente preocupado com as graves violações dos direitos humanos, nomeadamente as inquietantes informações sobre a morte de crianças vítimas de tortura e também com os bombardeamentos", realça-se no texto.

A ONU lamentou ainda que só durante a última semana tenham sido mortas pelo menos setenta pessoas, sendo que o total desde o início do conflito ultrapassa um milhar.

"Todas as mortes devem ser investigadas, num processo independente e transparente", defendeu, apelando ao fim imediato da "repressão violenta" levada a cabo pelas forças de segurança e a abertura de um processo de "diálogo" com o povo sírio.