Filadélfia

Mais um afro-americano morto pela Polícia, mais confrontos nos EUA

Mais um afro-americano morto pela Polícia, mais confrontos nos EUA

A cidade norte-americana de Filadélfia viveu, na noite de terça-feira e madrugada de hoje, manifestações marcadas por detenções e saques, na sequência de mais um caso de um homem negro baleado até à morte pela polícia.

Os protestos começaram num bairro perto de Filadélfia, onde vivia Walter Wallace Júnior, de 27 anos, morto a tiro na rua por dois polícias na tarde de segunda-feira. O caso começou quando a família de Walter pediu ajuda para lidar com uma crise de saúde mental do homem. Segundo o advogado da família, Shaka Johnson, o telefonema feito pela família visou chamar uma ambulância, já que Walter sofria de transtorno bipolar, e não pedir intervenção policial.

De acordo com a Polícia, dois agentes deslocaram-se ao local em resposta a um telefonema que alertou para uma disputa familiar e para a existência de um homem com uma faca, que Walter Wallace Jr. se terá recusado largar, apesar das ordens dos polícias.

Por seu lado, os pais da vítima garantiram que os polícias sabiam que o seu filho estava a ter uma crise de saúde mental, porque já tinham ido à casa da família três vezes na segunda-feira. "Uma das vezes, ficaram ali, a rir-se de nós", disse a mãe da vítima, Cathy Wallace.

"Quando se chega a um sítio e alguém está com uma crise mental, mas a única ferramenta que se usa para lidar com isso é uma arma, onde estão as ferramentas adequadas?", questionou o advogado, argumentando que a polícia da Filadélfia não está devidamente formada para enfrentar crises de saúde mental e acrescentando que a mulher do homem baleado, Dominique Wallace, está grávida e tem parto induzido marcado para hoje.

Um vídeo filmado por um transeunte e divulgado nas redes sociais mostra os polícias a gritarem para Wallace largar a faca, enquanto a mãe e um outro homem seguem Wallace, tentando fazê-lo ouvir os polícias à medida que a vítima atravessa a rua rapidamente entre os carros. O vídeo não deixa claro se Wallace tinha, de facto, uma faca na mão, mas algumas testemunhas confirmaram a situação.

"Wallace avançou em direção aos polícias, que dispararam várias vezes", disse a porta-voz da polícia, Tanya Little, acrescentando que Wallace foi atingido no ombro e no peito e que um polícia o levou a um hospital, onde foi declarado morto pouco depois.

Os nomes dos polícias que atingiram o homem serão também mantidos em segredo até que haja certeza de que a divulgação não representa uma ameaça à sua segurança, referiu o departamento da polícia, acrescentando que os agentes foram retirados do serviço de rua durante a investigação.

Embora tenha referido não poder confirmar que informações que foram dadas aos agentes que responderam ao apelo, o inspetor-chefe de polícia, Frank Vanore, confirmou que a polícia recebeu um telefonema na segunda-feira a alertar para um homem que estava a gritar e a dizer estar armado com uma faca. O mesmo responsável adiantou que cada um dos dois polícias disparou pelo menos sete tiros - foram 14 tiros no total - mas não soube dizer quantas vezes Wallace foi atingido.

Outras Notícias