O Jogo ao Vivo

Ambiente

Malásia não quer ser a lixeira do Mundo e vai devolver toneladas de plástico

Malásia não quer ser a lixeira do Mundo e vai devolver toneladas de plástico

O governo da Malásia vai enviar três mil toneladas de resíduos plásticos para os países de onde inicialmente foram importados, sob "falsas declarações".

"Os contentores [de lixo plástico] foram trazidos ilegalmente para o país sob falsas declarações e outras infrações, que claramente violam a nossa lei ambiental", referiu Yeo Bee Yin, ministra do ambiente da Malásia.

De acordo com a agência de notícias Reuters, as autoridades da Malásia identificaram pelo menos 14 países de origem do lixo, entre eles Estados Unidos da América, Japão, França, Canadá, Austrália e Reino Unido.

Yeo Bee Yin refere que 60 contentores cheios de lixo plástico foram importados ilegalmente do Ocidente. Dez desses contentores serão reenviados dentro de duas semanas para os respetivos países.

Na "montanha" de resíduos estão incluídos cabos do Reino Unido, discos compactos do Bangladesh, embalagens de leite da Austrália e resíduos eletrónicos e domésticos de países da América do Norte, Japão, Arábia Saudita e China.

Segundo Yeo Bee Yin, já se estão a tomar medidas para evitar que o país se transforme numa lixeira dos países desenvolvidos. De acordo com a Reuters, a Malásia tornou-se o principal destino mundial de resíduos plásticos depois de a China banir, em 2018, as importações de lixo plástico. Outros países já estão a seguir o mesmo caminho.

O canal televisivo Sky News reportou no ano passado que dois terços do plástico reciclável do Reino Unido é transportado para países em desenvolvimento devido à mão-de-obra ser mais barata no exterior. No entanto, após o lixo sair do país, ninguém se interessava em confirmar se era reciclado ou se acabava em aterros.