Mundo

Manifestações no centro de Madrid em protesto anti-sistema

Manifestações no centro de Madrid em protesto anti-sistema

Milhares de pessoas bloquearam durante a tarde desta terça-feira a praça mais importante do centro de Madrid, a Praça do Sol, num protesto anti-sistema convocado de forma espontânea pelas redes sociais e por SMS, ligado ao recém-criado movimento "Democracia Real Já". Parte dos manifestantes decidiram permanecer ali durante a noite.

Parte dos manifestantes concentrados desde o final da tarde na Puerta del Sol, no centro de Madrid, em protesto contra o sistema político e económico, deliberaram pernoitar na praça, onde é evidente a forte presença policial.

Esta manifestação é a segunda grande concentração nesta praça e ocorre menos de 24 horas depois de uma outra, que incluiu um acampamento provisório instalado por centenas de pessoas, ter sido desalojada à força pela polícia.

Nessa acção policial, que ocorreu durante a madrugada, foram detidos manifestantes, tendo ficado várias pessoas feridas.

Em sinal de protesto contra essa acção policial mas também em defesa dos motivos iniciais do protesto - criticas ao sistema político e económico - ao final da tarde de terça-feira, regressaram os manifestantes.

Prometendo voltar a ficar durante toda a noite acampados no local - um dos mais visitados pelos turistas que se deslocam a Madrid e uma praça que acolhe a sede do Governo regional - os manifestantes criticam o que dizem ser um sistema que não os representa.

Foi tão elevada a resposta aos apelos a favor da manifestação, que se multiplicaram durante o dia pelas redes sociais, que a Polícia foi obrigada a cortar todos os acesso ao trânsito na zona, localizada também próximo do Congresso de Deputados.

PUB

Os manifestantes são jovens, idosos, alunos e até famílias inteiras, muitas delas com alguns ou todos dos seus membros desempregados.

Elementos próximos aos organizadores insistem que todos podem participar mas que não são bem vindos os que venham para "armar confusão", já que o protesto pretende ser "totalmente pacífico".

Entre as palavras de ordem dos manifestantes estão críticas ao modelo económico atual, ao apoio aos bancos e ao sistema político essencialmente bipartidário que consideram não os representar.

O crescente distanciamento entre a classe política e o resto da sociedade e a falta de apoio a iniciativas políticas de cidadãos ou minoritárias são outras das queixas.

O movimento por trás da manifestação é o "Democracia Real Já", criado há poucos meses e que conseguiu mobilizar protestos em 50 cidades espanholas no passado domingo que, entre si, tiveram mais participantes que os recentes protestos sindicais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG