Bagdade

Manifestante iraquiano morre ao ser atingido por disparo de gás lacrimogéneo

Manifestante iraquiano morre ao ser atingido por disparo de gás lacrimogéneo

Um manifestante antigovernamental morreu este domingo em Bagdade, Iraque, ao ser atingido diretamente na cabeça por um cartucho de gás lacrimogêneo durante confrontos ocorridos numa ponte estratégica da capital, revelaram as autoridades e os serviços médicos.

Segundo as mesmas fontes, pelo menos 32 pessoas ficaram feridas nos confrontos com as forças de segurança, poucas horas depois de os manifestantes terem retomado o controlo de metade da ponte de Ahrar.

Os manifestantes ocuparam três pontes que atravessam o rio Tigre em direção à chamada Zona Verde, fortemente fortificada, sede do governo do Iraque.

As forças de segurança enviaram hoje efetivos para o outro lado da ponte, tendo erguido barreiras de cimento para impedir que os manifestantes entrassem na Zona Verde.

Entretanto, dois foguetes Katyusha caíram hoje nas proximidades da Zona Verde, mas não causaram vítimas. Um deles caiu no rio Tigre e o outro tombou num estádio de futebol vazio, precisaram as autoridades de segurança.

Em outras localidades do centro e sul do Iraque, os manifestantes bloquearam as estradas com pneus em chamas, interrompendo o trânsito e paralisando o trabalho depois de terem convocado uma greve nacional.

Desde que os protestos se iniciaram em 1º de outubro, pelo menos 320 pessoas foram mortas e milhares de outras ficaram feridas em Bagdade e nas províncias do sul, sendo as vítimas principalmente xiitas.

Os manifestantes invadiram as ruas às dezenas de milhares por causa da alegada corrupção generalizada, falta de oportunidades de emprego e serviços básicos em degradação, apesar da riqueza petrolífera do país.

Os protestos em massa, sem líderes conhecidos, visam afastar a elite política do Iraque, acusada de corrupção descarada.