Mundo

Maradona oferece-se como soldado para lutar por Maduro na Venezuela

Maradona oferece-se como soldado para lutar por Maduro na Venezuela

O antigo craque argentino já tinha apoiado publicamente Nicólas Maduro na candidatura presidencial, em 2013. Esta terça-feira, voltou a escrever uma mensagem de apoio ao responsável pelo governo venezuelano, onde se diz pronto para lutar por ele.

"Somos chavistas até à morte", escreveu o argentino numa publicação na rede social Facebook. Esta não é a premeria vez que o antigo jogador demonstra apoio a figuras políticas. Hugo Cháves e até Dilma Rousseff, antiga Presidente do Brasil, mereceram o apoio de Maradona.

Mas nesta publicação, Maradona não se ficou pelo apoio e demonstrou mesmo estar disponível por lutar por Maduro contra as forças imperialistas: "Quando Maduro pedir, estou vestido de soldado para libertar a Venezuela e lutar contra os imperialistas e aqueles que querem tirar as nossas bandeiras, a coisa mais sagrada que temos.

Maradona também tem no braço direito uma tatuagem com o rosto de Ernesto Che Guevara e já havia afirmado que Fidel Castro era como um pai para ele. "Viva Chávez. Viva Maduro. Viva a Revolução. Viva a linhagem pura dos venezuelanos", concluiu a publicação.

A Venezuela está mergulhada numa grave crise política marcada por protestos na rua. Já morreram mais de 120 pessoas e mulheres ficaram feridas.