O Jogo ao Vivo

Espanha

Matou e desmembrou a noiva. Polícia espanhola acredita que morte foi acidental

Matou e desmembrou a noiva. Polícia espanhola acredita que morte foi acidental

A Policia Nacional espanhola supõe que um homem conhecido como o "Rei do Cachopo" matou a noiva acidentalmente na sequência de uma discussão e, de seguida, desmembrou e enterrou o corpo, no ano passado, em Madrid, Espanha.

Cesar Román, empresário de restauração apelidado como o "Rei do Cachopo" está detido desde outubro de 2018 em prisão preventiva pelo assassinato da noiva. Porém, a investigação aponta agora para outro sentido.

A Polícia Nacional de Espanha presume que o homem de 45 anos matou a Heydi Paz Bulnes, de 25 anos, acidentalmente durante uma discussão, ao agredi-la ou empurrá-la, no apartamento que dividiam, no distrito de Vallecas, em Madrid.

Róman ficou assustado e em vez de chamar a polícia optou por desmembrar o corpo da mulher. Para esconder o crime, enterrou uma parte do cadáver juntamente com a faca que utilizou e transportou o torso numa mala que veio a ser descoberta dias depois, após um incêndio numa das instalações onde Román tinha um restaurante.

O homem, que desapareceu após a morte da namorada, alega ser inocente, negando todos os factos e atribui a culpa a um grupo de narcotraficantes ligados à policia. Segundo uma carta escrita pelo "Rei do Cachopo", um grupo de traficantes de droga apontaram uma arma à cabeça da vítima acabando por assassinar Heydi, o que levou Cesar Román a desaparecer e sair da capital espanhola depois de várias ameaças de morte.

No entanto, foram encontrados vestígios onde as autoridades acreditam ser o local do crime, que estão a ser analisados. Caso correspondam ao ADN da noiva, a teoria de Román cai por terra.

Nas últimas semanas, testemunhos feitos por médicos, bombeiros, polícias e parentes de Heydi sustentam a teoria de que Cesar Román assassinou a noiva e que a desmembrou para transportá-lo facilmente.

Román apareceu constantemente nos meios de comunicação através de uma excessiva campanha de "marketing", tornando um simples bife panado recheado com presunto e queijo, conhecido em Espanha como "cachopo", num prato da moda de Madrid. Mariano Rajoy, ex-presidente do governo espanhol, foi um dos clientes.

Segundo o jornal espanhol El País, entre 2016 e início de 2018, o "Rei de Cachopo", abriu cinco restaurantes, comprou seis motos para distribuir a comida e proclamou seu prato, típico nas Astúrias, como o melhor de Espanha.