O Jogo ao Vivo

Reino Unido

May defende que antecipação das eleições garante estabilidade pré-Brexit

May defende que antecipação das eleições garante estabilidade pré-Brexit

A primeira-ministra britânica, Theresa May, defendeu, esta quarta-feira, a antecipação das eleições legislativas com a necessidade de aproveitar a "janela de oportunidade" antes de se iniciarem as negociações sobre a saída do Reino Unido da União Europeia.

No discurso de abertura do debate parlamentar sobre a moção para a marcação de eleições legislativas antecipadas a oito de junho, a líder do partido Conservador afirmou que esta é "a melhor forma de garantir a segurança e estabilidade que necessitamos para assegurar o melhor acordo para o Reino Unido nas negociações do 'Brexit' e aproveitar as oportunidades que se seguem".

A chefe do governo entende ser do "interesse nacional" realizar estas eleições agora, enquanto os restantes 27 Estados-membros da UE concertam a sua posição e as orientações para o "Brexit".

Os líderes europeus reunir-se-ão em cimeira no dia 29 de abril, sendo esperado um documento com as orientações finais sobre o processo até ao final de maio.

"Cheguei à conclusão que a resposta para essa questão é organizar umas eleições agora, nesta janela de oportunidade antes que comecem as negociações", vincou.

Theresa May acusou partidos da oposição de se oporem e atrapalharem o trabalho do governo para o `Brexit" e entende que as eleições servirão para clarificar e reforçar a posição do executivo.

PUB

Na sua intervenção, o líder do partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, tentou desmontar as intenções da líder dos "Tories".

"A primeira-ministra disse que convocou as eleições para que o governo possa negociar o Brexit. Nós tivemos um referendo que determinou esse mandado e o parlamento votou aceitando o resultado", lembrou.

Segundo Corbyn, "não há obstáculos à negociação do governo, mas em vez de meter mãos à obra, a primeira-ministra finge estar prisioneira dos Liberais Democratas, que alegadamente disse que iriam travar o governo".

O líder do principal partido da oposição acusou os Conservadores de quererem usar o "Brexit" para transformar o país "num paraíso fiscal de baixos salários".

Pelo contrário, afirmou, "o partido Trabalhista investirá em todo o país para criar uma economia de salários altos e qualificações elevadas em que todos partilhem as recompensas".

Corbyn voltou ainda a desafiar a primeira-ministra para um debate televisivo durante a campanha eleitoral, o que Theresa May já descartou, alegando que a discussão das suas políticas será feita no terreno, com os eleitores.

Theresa May anunciou esta terça-feira a intenção de antecipar eleições, mas a lei de 2011 determina que, para interromper o mandato parlamentar de cinco anos, a proposta tem de ser aprovada por dois terços dos deputados.

O debate desta moção será concluído com um voto, que se espera que seja favorável graças ao apoio dos deputados do partido Trabalhista, garantindo assim o mínimo de 434 membros da Câmara dos Comuns.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG