Covid-19

Médicos do Texas ponderam usar vacinação como fator de acesso às UCI

Médicos do Texas ponderam usar vacinação como fator de acesso às UCI

Face à possível escassez de camas em Unidades de Cuidados Intensivos, médicos do Texas discutiram a possibilidade de ter em conta o estado da vacinação dos pacientes. Orientação tornou-se pública e gerou discórdia.

Um grupo de médicos do Texas ponderou começar a ter em conta a vacinação para escolher que pacientes devem ter acesso às camas de Unidades de Cuidados Intensivos (UCI), face ao aumento de casos de covid-19.

O email enviado aos elementos do "North Texas Mass Critical Guidelines Task Force", que continha essa recomendação, chegou aos jornais locais. Segundo avançou o "Dallas Morning News", a orientação dizia que, tendo em conta que a vacinação diminui significativamente as infeções graves por covid-19, poderia ser considerada para se decidir se o paciente recebe uma vaga em UCI. Estas diretrizes foram elaboradas para o nível 3 de crise pandémica, ao qual, segundo o responsável de task force, Robert Fine, o estado americano poderá chegar em duas semanas.

PUB

Mark Casanova, diretor de ética clínica do Baylor University Medical Center, explicou ainda que o memorando serviria para ajudar os médicos na triagem de infetados numa situação de recursos limitados.

Mas a ideia não está a reunir consenso. Para Harald Schmidt, professor de ética médica e política de saúde da Universidade da Pensilvânia, a abordagem poderia ser problemática por contribuir para as "injustiças sociais".

Face à contestação, Mark Casanova fez questão de explicar que o email se destinou apenas a reunir feedback da comunidade médica, realçando que, no futuro, o estado da vacinação não estará entre os fatores que os hospitais devem considerar para tomar decisões de triagem de cuidados intensivos. "A falta de uma vacina não será considerada como parte de nenhum critério de exclusão para o tratamento de pacientes", referiu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG