Guerra

Países estrangeiros renunciam a qualquer interferência no conflito na Líbia

Países estrangeiros renunciam a qualquer interferência no conflito na Líbia

O secretário-geral da ONU, António Guterres, anunciou este domingo que as potências estrangeiras se comprometeram a renunciar a uma interferência no conflito líbio, após uma conferência internacional realizada em Berlim.

"Todos os participantes se comprometeram a renunciar a interferências no conflito armado ou em questões internas da Líbia", indicou Guterres, apesar de a Turquia apoiar militarmente o governo de Fayez al-Sarraj, em Tripoli, e de a Rússia, apesar de negar, ser suspeita de apoiar o marechal Khalifa Haftar, líder do Exército Nacional Líbio (ENL) e homem forte do leste do país.

Já antes a chanceler alemã tinha confirmado o respeito pelo embargo das armas à Líbia por parte dos países estrangeiros. "Concordámos que queremos respeitar o embargo de armas e que este embargo será controlado de forma mais rigorosa do que antes", declarou ​​​​​​​Angela Merkel no final da conferência sobre o conflito líbio.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG