Covid-19

Mesquitas encerradas, xiitas iranianos forçaram entrada

Mesquitas encerradas, xiitas iranianos forçaram entrada

Grupos de xiitas iranianos forçaram a entrada em pelo menos duas mesquitas depois de ter sido emitida a ordem de encerramento dos templos, pela República Islâmica do Irão, como medida de contenção da pandemia do novo coronavirus (Covid-19).

Nove em cada 10 dos 18 mil casos de infetados com o Covid-19 confirmados no Médio Oriente são do Irão, onde as autoridades aplicaram medidas de contenção que incluem as restrições no acesso às mesquitas nomeadamente nas cidades da região de Nowruz onde se vai celebrar de forma mais intensa o Ano Novo persa na próxima sexta-feira.

O número de vítimas mortais aumentou 13% no Irão, de acordo com dados do Ministério da Saúde que indicam que as 135 mortes ocorridas nas últimas 24 horas fizeram aumentar para 988 o número total de mortos.

O balanço de pessoas contagiadas com o Covid-19 no Irão é de cerca 16 mil casos.

De acordo com imagens registadas em vídeo e difundidas pela Internet, na segunda-feira à noite um grupo de xiitas forçou a entrada em duas mesquitas, uma em Qom e outra em Mashhad, insultando o ministro da Saúde que anunciou o encerramento dos templos como medida de contingência contra a propagação da pandemia.

Esta terça-feira, as autoridades de Teerão voltaram a apelar à população para se manter em casa.

O coronavírus responsável pela pandemia da Covid-19 infetou mais de 180 mil pessoas, das quais mais de sete mil morreram.

Das pessoas infetadas em todo o mundo, mais de 75 mil recuperaram da doença.

O surto começou na China, em dezembro, e espalhou-se por mais de 145 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Depois da China, que regista a maioria dos casos, a Europa tornou-se o epicentro da pandemia, com mais 67 mil infetados e pelo menos 2684 mortos.

A Itália com 2158 mortos registados até segunda-feira (em 27980 casos), a Espanha com 491 mortos (11191 casos) e a França com 148 mortos (6663 casos) são os países mais afetados na Europa.

Face ao avanço da pandemia, vários países adotaram medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena e o encerramento de fronteiras.