Mundo

México oferece asilo político a Julian Assange

México oferece asilo político a Julian Assange

O governo do México ofereceu, esta segunda-feira, asilo político ao fundador do WikiLeaks, Julian Assange, depois de a Justiça britânica ter rejeitado a sua extradição para os EUA para ser julgado pela publicação de centenas de milhares de documentos secretos.

"Vou pedir ao ministro dos Negócios Estrangeiros que realize os trâmites necessários para se solicitar ao Governo do Reino Unido a possibilidade do senhor Assange ficar em liberdade e o México lhe oferecer asilo político", declarou o presidente Andrés Manuel López Obrador, em conferência de imprensa.

López Obrador disse que o México oferece asilo com proteção, mas também com "a responsabilidade de zelar para que quem recebe o asilo não intervenha, nem interfira, nos assuntos políticos de nenhum país".

A Justiça britânica rejeitou a extradição de Assange para os EUA, considerando que, se o fizesse, este poderia cometer suicídio.

Assange, de 49 anos, está há 20 meses detido na prisão de alta segurança de Belmarsh, em Londres, desde a sua detenção, em abril de 2019, na embaixada do Equador no Reino Unido. Viveu durante sete anos nessa missão diplomática, sob asilo político.

Assange e o caso WikiLeaks ficaram conhecidos em 2010, após a divulgação de cerca de 700 mil documentos militares e diplomáticos confidenciais que colocaram os EUA numa difícil situação.

PUB

Washington acusa o denunciante de espionagem e de colocar em risco a vida dos seus informantes, ao publicar documentos secretos sobre as ações militares dos EUA no Iraque e no Afeganistão. O material divulgado revelou atos de tortura, mortes de civis e outros abusos.

O México já tinha oferecido asilo político a outras personalidades internacionais como o ex-presidente boliviano Evo Morales, que chegou ao país em novembro de 2019, após renunciar à Presidência do seu país.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG