Tribunal

Miss Crimeia multada por cantar música patriótica ucraniana

Miss Crimeia multada por cantar música patriótica ucraniana

Vídeo publicado nas redes sociais mostrava duas mulheres da Crimeia, incluindo a Miss Crimeia, a cantar a canção patriótica ucraniana "Chervona Kalyna". Foram consideradas culpadas de desacreditar o exército russo.

Olga Valeyeva, que venceu o concurso de beleza Miss Crimeia 2022, e uma amiga cantaram a popular música ucraniana "Chervona Kalyna" numa varanda e o vídeo que registava o momento foi partilhado nas histórias do Instagram, que são apagadas automaticamente após 24 horas.

"Um vídeo foi publicado na Internet em que duas raparigas cantam uma música que é o hino de luta de uma organização extremista", disse o Ministério do Interior da Crimeia, no Telegram, na segunda-feira. Segundo a mesma fonte, um tribunal considerou as mulheres, nascidas em 1987 e 1989, culpadas de desacreditar o exército russo e demonstrar publicamente símbolos nazis.

PUB

De acordo com o jornal britânico "The Guardian", Valeyeva foi multada em 40 mil rublos (equivalente a cerca de 677 euros), enquanto a amiga foi condenada a 10 dias de prisão.

Mulheres pediram desculpa em vídeo

A polícia da Crimeia publicou um vídeo das duas mulheres a pedir desculpa por cantar a música. "Não sabia e não percebi que tinha um caráter nacionalista e definitivamente não queria espalhar propaganda por cantá-la", disse uma das mulheres.

Valeyeva já tinha dito no Instagram que não queria "prejudicar ninguém". "Acabámos de cantar uma música ucraniana. Pensávamos que era apenas uma pequena música que conhecíamos há muito tempo", explicou.

Autoridades já tinham ameaçado reagir "duramente"

No mês passado, o chefe da península, Sergey Aksyonov, alertou a Crimeia que as autoridades reagiriam "duramente" a essas músicas depois de a música "Chervona Kalyna" ter sido tocada num casamento. "Cantar esses hinos nacionalistas - especialmente durante a operação militar especial - será punido", disse Aksyonov num vídeo publicado no Telegram em setembro, usando a terminologia de Moscovo para descrever sua invasão da Ucrânia. "As pessoas que fazem isso estão a agir como traidoras".

A Rússia, cujas tropas estão a lutar na Ucrânia, muitas vezes alega que os símbolos nacionais de Kiev são extremistas e nazis.

A Crimeia foi anexada ao país liderado por Vladimir Putin em 2014.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG