Nápoles

Morreu com covid enfermeiro italiano reformado que voltou a trabalhar para combater pandemia

Morreu com covid enfermeiro italiano reformado que voltou a trabalhar para combater pandemia

Alfonso Durante, enfermeiro italiano reformado que, como muitos outros, decidiu voltar a trabalhar para ajudar na luta contra a pandemia, morreu na segunda-feira da doença covid-19, aos 75 anos.

Alfonso estava reformado, mas perante a crise provocada pelo novo coronavírus em Itália e no resto do Mundo, resolveu voltar a vestir a fardar e ajudar os colegas. No entanto, o enfermeiro acabou por ser infetado e morreu vítima da covid-19. Os companheiros recordam-nos como um "herói", para sempre imortalizado com um sorriso.

Pasquale Martino, diretor da Misericórdia de Grumo Nevano, em Nápoles, descreveu-o como um "ajudante generoso": "Perdemos um irmão que nunca se libertou. Jamais o esqueceremos", afirmou o responsável, citado pelo jornal "El Mundo".

Alfonso voltou ao serviço naquela instituição e foi lá que ficou infetado. Depois foi transferido para o hospital de Cotugno e em pouco tempo foi para a unidade de cuidados intensivos, onde foi intubado. O enfermeiro não conseguiu derrotar o vírus.

"Ele gostou da reforma, mas o grito das pessoas em dificuldade durante a pandemia levou-o a vestir o uniforme de emergência novamente, e ele pagou caro", escrevem os colegas da associação "Ninguém toca em Hipócrates", que há anos luta contra a violência contra médicos, enfermeiras e outros profissionais de saúde.

Foram enviadas várias mensagens de condolências à família por amigos, colegas e conhecidos. "É um médico ou enfermeiro reformado? Você está em risco... fique em casa! Os jovens trabalham por si!", escreveu a associação.

"Alfonso é o verdadeiro herói desta batalha contra a covid. Ele podia simplesmente aproveitar a reforma e, em vez disso, decidiu ir ao campo de batalha travar uma guerra contra o vírus. São pessoas como Alfonso que devem ser celebradas e lembradas. Propomos que recebam a medalha da coragem civil. Se não a merecem, não sabemos quem pode merecer", disse o Conselheiro Regional da Campânia, Francesco Emilio Borrelli.

PUB

Outras Notícias