Óbito

Morreu Ruth Bader Ginsburg, a juíza das minorias nos EUA

Morreu Ruth Bader Ginsburg, a juíza das minorias nos EUA

A juíza do Supremo Tribunal dos Estados Unidos Ruth Bader Ginsburg morreu, aos 87 anos, de "complicações causadas por um cancro do pâncreas". Deixa agora em aberto uma vaga que Donald Trump e a maioria republicana do Senado vão tentar preencher o mais rapidamente possível.

Em comunicado, o tribunal indicou que a juíza "morreu esta noite [de sexta-feira] rodeada pela família, na sua casa, em Washington".

O juiz-presidente do Supremo Tribunal dos Estados Unidos, John Roberts, disse que o país "perdeu uma jurista de dimensão histórica". "Perdemos uma colega estimada. Hoje estamos de luto, mas confiantes de que as gerações futuras recordarão Ruth Bader Ginsburg como nós a conhecemos, uma incansável e decidida campeã da justiça".

Em julho, Ginsburg tinha anunciado que estava a fazer quimioterapia para lesões no fígado, a última das várias batalhas que travou contra o cancro desde 1999.

Nos últimos anos como juíza do Supremo Tribunal, Ginsburg afirmou-se como líder inquestionável da ala progressista da instituição e na defesa dos direitos das mulheres e das minorias, conquistando admiradores entre várias camadas da população norte-americana.

A morte da juíza representa um duro golpe para os progressistas norte-americanos e poderá alterar o equilíbrio da instituição em benefício dos conservadores, de acordo com vários observadores. A questão da substituição de RBG vai dominar o final da campanha para as presidenciais norte-americanas, previstas para 3 de novembro.

Outras Notícias