EUA

Morte de mais um jovem negro durante detenção motiva protesto em Minneapolis

Morte de mais um jovem negro durante detenção motiva protesto em Minneapolis

Um subúrbio de Minneapolis, EUA, onde decorre o julgamento do polícia acusado de matar o afro-americano George Floyd, foi colocado esta segunda-feira de madrugada sob recolher obrigatório, após a morte de um jovem na noite de domingo.

Daunte Wright, 20 anos, negro, foi morto alegadamente por um agente nos arredores de Minneapolis, provocando uma manifestação que juntou centenas de pessoas em frente do posto da Polícia de Brooklin Centre. Os agentes usaram gás lacrimogéneo e granadas de choque para dispersarem a multidão.

Daunte terá sido morto a tiro, momentos depois de ter telefonado para a mãe a dizer que estava a ser levado pela Polícia, chamada a intervir num incidente violento no bairro. A mãe, Katie Wright, disse que ouviu agentes a pedirem ao filho que largasse o telefone e um deles terminou-lhe a chamada. Minutos depois, a namorada de Daunte ligou-lhe a contar que o filho tinha sido baleado.

Por volta da meia-noite, o autarca de Brooklin Centre, Mike Elliott, declarou recolher obrigatório até à manhã de hoje, alegando a necessidade de manter a segurança pública e considerando a morte de Daunte Wright um "incidente trágico". "Queremos que todos estejam a salvo. Por favor, tenham cuidado e vão para casa", disse o autarca, na mensagem em que justificava a medida de recolher obrigatório.

O Departamento de Assuntos Criminais do Estado de Minnesota já anunciou que vai investigar o caso do envolvimento de um polícia no tiroteio que vitimou Daunte Wright. O incidente aconteceu em Minneapolis, onde decorre o julgamento do polícia acusado da morte de George Floyd, em maio passado, e cujo veredito é esperado para o final de abril ou início de maio.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG