Alemanha

Movimento anti-islâmico PEGIDA estende-se a Espanha

Movimento anti-islâmico PEGIDA estende-se a Espanha

Um movimento anti-islâmico que está a crescer na Alemanha abriu uma secção em Espanha, a seguir aos atentados da semana passada em França, indicou, esta quarta-feira, o grupo.

A ala espanhola do PEGIDA (Patriotas Europeus Contra a Islamização do Ocidente) foi lançada na rede social Twitter a 8 de janeiro, um dia depois do atentado perpetrado por jiadistas armados com espingardas automáticas "kalashnikov" que irromperam pela redação do jornal satírico francês Charlie Hebdo, em Paris, e abriram fogo, fazendo 12 mortos, incluindo alguns dos mais populares cartoonistas do país.

"Não há lugar para o Islão em sociedades democráticas como a Europa", escreveu o grupo num dos primeiros "tweets" daquele dia.

O ramo espanhol do movimento tem pouco mais de 800 seguidores na sua página do Twitter e mais de 2.700 "gostos" na página da rede social Facebook.

"Estamos a preparar uma manifestação do PEGIDA Espanha, que contará com a participação de membros do PEGIDA Alemanha. Vamos divulgar a data no Twitter e anunciá-la por e-mail", indicou o grupo, numa mensagem de correio eletrónico enviada à agência de notícias francesa, AFP.

A secção espanhola do PEGIDA tinha inicialmente planeado realizar a sua primeira manifestação na segunda-feira em frente à principal mesquita de Madrid, mas desconvocou-a depois de as autoridades governamentais terem recusado autorização e sugerido outro local.

Lançado na Alemanha em outubro, com uma marcha de apenas 500 pessoas, o PEGIDA cresceu rapidamente, levando a chanceler alemã, Angela Merkel, a lamentar esse facto na sua mensagem de Ano Novo, afirmando que os líderes do grupo têm "preconceitos, frieza, até ódio nos seus corações".

PUB

O PEGIDA deu voz a um vasto leque de queixas e uniu-se contra diversos inimigos, não só o Islão e os que querem asilo político, mas também a comunicação social e uma elite política que acusam de diluir a cultura de base cristã da Alemanha com o multiculturalismo.

Os ativistas já anunciaram planos para ações do PEGIDA na Áustria, na Suíça e na Escandinávia, enquanto outros grupos de extrema-direita europeus já expressaram o seu apoio ao movimento germânico.

A conta de Twitter do PEGIDA espanhol já segue as contas de vários grupos de extrema-direita espanhóis, incluindo a Falange, o partido nacionalista que forneceu a base ideológica ao regime ditatorial de Francisco Franco (1939-1975).

Espanha tem cerca de mil mesquitas, centros culturais islâmicos e locais de oração e cerca de dois milhões de muçulmanos numa população total que ronda os 47 milhões de pessoas, de acordo com a União de Comunidades Islâmicas de Espanha.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG